José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Cruzeiro e São Paulo fazem tira-teima pela Copa Libertadores

Equipes jogam pela terceira vez e placar está empatado em 1 a 1

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2015 | 09h30

O confronto desta quarta-feira entre Cruzeiro e São Paulo, no Mineirão, é um tira-teima histórico entre as equipes pela Copa Libertadores. Na história da competição foram dois encontros, um em 2009 e outro em 2010. No primeiro mata-mata, os mineiros levaram a melhor e no segundo, foi a vez a do time do Morumbi.

Ao contrário das ocasiões anteriores, a partida desta quarta-feira vale pelas oitavas de final e não será decidida no estádio do São Paulo. A equipe do técnico Marcelo Oliveira tem a vantagem de ser o mandante de segundo jogo e precisa ganhar por dois gols de diferença para reverter o placar de 1 a 0 do Tricolor obtido na última semana.

Somente dois jogadores que estarão em campo nesta quarta-feira também participaram dos dois confrontos anteriores. Ambos são do lado cruzeirense. O goleiro Fábio está no clube desde 2005 e o volante Henrique retornou em 2013 após uma passagem pelo Santos e, inclusive, marcou um dos gols sobre o São Paulo em 2009.


Curiosamente, a grande ausência dessas duas partidas foi o goleiro Rogério Ceni. O capitão do São Paulo ainda se recuperava de uma fratura sofrida no tornozelo em abril. Dênis o substitui no gol.

Naquele ano, a eliminação do Tricolor custou a saída do técnico Muricy Ramalho. O comandante estava no cargo desde 2006 e conquistou três títulos brasileiros consecutivos até não aguentar à pressão pelas duas derrotas para o Cruzeiro. Além dos 2 a 1 em Belo Horizonte, o São Paulo perdeu por 2 a 0 em pleno Morumbi.

 

Na temporada seguinte a equipe deu o troco já sob o comando do substituto de Muricy, Ricardo Gomes. Tanto no Mineirão como no Morumbi o placar foi de 2 a 0, com os mesmos autores dos gols: Dagoberto e Hernanes. A queda na competição continental contribuiu para a saída do técnico cruzeiro Adilson Batista, semanas depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.