Washington Alves/LightPress
Washington Alves/LightPress

Cruzeiro empata com o Atlético-MG, mantém ponta, mas amplia jejum

Última vitória do time de Marcelo Oliveira sobre rival foi em 2013

Estadão Conteúdo

08 Março 2015 | 18h37

Em um clássico de poucas emoções e definido com gols marcados no segundo tempo, Cruzeiro e Atlético empataram por 1 a 1, neste domingo, no Mineirão, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro. O resultado mantém o Cruzeiro, mandante da partida, na liderança do torneio estadual, mas o ampliou o seu jejum de vitórias diante do maior rival para nove jogos - a sua última vitória foi em julho de 2013.

Agora o Cruzeiro está com 14 pontos, um a mais do que o Atlético, o segundo colocado no Campeonato Mineiro. O Cruzeiro volta a jogar nesta quarta-feira, diante do Villa Nova, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Já o Atlético vai encarar a Caldense na próxima quinta-feira, fora de casa.

Em um início de temporada longe do sucesso apresentado no ano passado, quando conquistaram títulos nacionais, Cruzeiro e Atlético estiveram longe de empolgar seus torcedores no Mineirão, especialmente no primeiro tempo, com poucas chances de gol e muita marcação.

Mesmo muito desfalcado, foi o Atlético quem começou o clássico no campo de ataque, com Luan sendo o responsável pela criação das jogadas, enquanto o Cruzeiro tinha atuação apagada dos seus principais nomes no setor ofensivo, casos de Arrascaeta e Leandro Damião, abusando dos lançamentos longos, e apostando bastante nos chutes de fora da área de Marquinhos, mas a maioria sem direção.

Nenhum dos times, porém, criou chances efetivas de gol nos minutos iniciais, tanto que a primeira oportunidade clara aconteceu aos 28 minutos, com Fábio impedindo o gol atleticano duas vezes. Na jogada, Dodô executou cobrança de escanteio e Jemerson cabeceou, parando no goleiro. Depois, no rebote, Fábio fez mais uma bela defesa, impedindo o gol.

Mas, exceto por esse lance, o primeiro tempo não teve mais grandes oportunidades. O Cruzeiro apostava na velocidade de Marquinhos nos contra-ataques e também nas jogadas aéreas, com Mayke buscando Leandro Damião, mas que eram sempre paradas pelos defensores adversários.

O Atlético, por sua vez, tinha mais posse de bola, mas errava passes no ataque e demonstrava nervosismo, especialmente com Luan, que discutiu com adversários e também com o árbitro. Assim, o primeiro tempo terminou mesmo empatado em 0 a 0.

Logo no começo da etapa final, o Cruzeiro ameaçou o Atlético em uma jogada de bola parada. Aos seis minutos, após cobrança de escanteio, o Cruzeiro ficou com o rebote. Paulo André arriscou de longe e Victor precisou se esticar todo para fazer a defesa.

Esse lance indicou um começo de segundo tempo de superioridade do Cruzeiro. Mas logo o Atlético conseguiu equilibrar o duelo, voltando a ocupar o campo de ataque. E o time marcou o seu gol aos 26 minutos, em erro de Fábio. O goleiro foi tentar afastar a bola na grande área, mas acertou o atleticano Patric. A bola sobrou para Rafael Carioca, livre, finalizar e fazer 1 a 0 para o Atlético.

O Cruzeiro, porém, demonstrou frieza nesse momento de adversidade e conseguiu empatar o jogo aos 36 minutos, com Leandro Damião. O centroavante foi acionado na grande área por Marquinhos, girou sobre Jemerson e chutou rasteiro, igualando o placar.

O gol animou o Cruzeiro que pressionou o Atlético nos minutos finais, em busca da virada. Na principal chance, Alison cruzou para Damião, que escorou para Judivan, que não conseguiu finalizar. Assim, o clássico mineiro terminou empatado em 1 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.