Cruzeiro empata com Vasco em casa

A intenção do Cruzeiro era fazer as pazes com sua torcida, mas os jogadores e o técnico Levir Culpi mais uma vez deixaram o gramado do Mineirão sob intensa vaia. O empate por 3 a 3 com o Vasco, ontem (26), pela nona rodada do Campeonato Brasileiro, foi encarado como uma derrota. O time mineiro vencia no segundo tempo por 3 a1, mas cedeu a igualdade no marcador. Para a equipe carioca, contudo, o resultado teve gosto de triunfo."Foi um empate com muita luta", comemorou o meio-campista Gomes, autor do terceiro gol vascaíno, já no final da partida. "Lutamos, batalhamos.Esse empate foi como uma vitória para a gente", reforçou o atacante Alex Dias. Com o resultado, após nove rodadas, o Cruzeiro soma agora 13 pontos. O Vasco chegou aos nove.O time da casa começou melhor a partida. O armador Lopes, que substituiu Adriano, suspenso terceiro cartão amarelo, aproveitou uma sobra de bola na área para fazer 1 a 0, aos 10 minutos da etapa inicial. Com mais poder ofensivo, o Cruzeiro insistiu e aos 35 ampliou.O volante chileno Maldonado tocou para a conclusão do lateral-esquerdo Patrick, que não desperdiçou - 2 a 0.A equipe carioca conseguiu diminuir já no final do primeiro tempo.Maldonado cometeu pênalti em Alex Dias. O próprio atacante cobrou e fez o primeiro do Vasco.Mas já nos primeiros minutos da etapa final, o time mineiro voltou a colocar uma vantagem de dois gols sobre o adversário. Após um escanteio, o zagueiro Marcelo Batatais subiu para, de cabeça, marcar o terceiro.O Vasco, porém, não desistiu e contou com a acomodação da equipe celeste. Aos 24 minutos, o português Dominguez fez jogada pela esquerda e cruzou para a área. Na disputa entre Morais e o zagueiro Argel, o vascaíno levou a melhor e marcou o segundo (3 a 2). A equipe carioca continuou insistindo e chegou ao empate aos 39 minutos, com Gomes.Mais uma vez, a revolta dos torcedores cruzeirenses teve como alvo predileto o técnico Levir Culpi. "Simplesmente entregamos o jogo", disse Argel, que, sem citar nomes, reclamou da falta de ajuda dos companheiros na marcação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.