Cruzeiro encara a Chapecoense em casa para continuar arrancada rumo ao G4

O Cruzeiro encara neste domingo, a partir das 11 horas, a Chapecoense, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, para manter o ritmo e se aproximar mais do G4 da competição. As três vitórias seguidas - contra Flamengo, Atlético Mineiro e Vasco - tiraram o time da lanterna e posicionaram a equipe na parte intermediária da tabela de classificação. Outro triunfo o coloca de vez na briga pelo topo.

Estadão Conteúdo

21 de junho de 2015 | 07h05

Para o duelo contra os catarinenses na manhã deste domingo, o Cruzeiro poderá contar com o atacante camaronês Joel, inscrito no BID da CBF, e com a possível volta de Henrique, que estava lesionado. O volante, que levou uma pancada no dorso do pé direito na partida contra o Flamengo, no último dia 3, voltou a treinar e pode retornar ao time.

"O pensamento é sempre positivo. Sou o dono do corpo, sei das dores que sinto. Atleta que não tem dor não é atleta. A gente convive com isso diariamente. Queremos chegar ao jogo e ajudar a equipe a alcançar os seus objetivos", declarou o jogador.

As últimas três vitórias seguidas já fazem parte do passado, segundo Henrique. O volante espera que o time continue mantendo o bom futebol apresentado para continuar na trilha das vitórias. "Foi muito importante para nós. Importante para dar uma crescida e acreditar no nosso trabalho. Foram três vitórias boas, mas que já passaram. No domingo, temos um confronto difícil. A gente sabe como é enfrentar essas equipes que jogam contra nós. A gente sabe como é importante para crescer nessas competições", completou.

Outro que alertou sobre o adversário deste domingo é Marquinhos, que tem presença garantida no Mineirão. "Um jogo muito difícil, a gente sabe que a Chapecoense vem com o time fechado para sair no contra-ataque. Temos que ter bastante cuidado e é isso que o Vanderlei (Luxemburgo) vem cobrando bastante. Também sobre errar menos. Será um jogo pegado, temos que ter bastante cuidado", reforçou o atleta. "Precisamos jogar compactados para sair com os três pontos. Não errar essas bolas dentro do meio de campo, porque assim podemos agredir o adversário", finalizou.

Sobre o fato de a equipe voltar a ser cotada como favorita ao título brasileiro, Henrique manteve a cautela e afirmou que ainda é muito cedo para falar sobre isso. "É muito cedo para falar. É claro que o futebol muda muito rápido. O campeonato é muito longo. Muitas coisas podem acontecer, e a gente vai trabalhar para ser forte, crescer. Favoritismo, a gente não coloca. As pessoas que nos tornam favoritos. Vamos trabalhar para brigar pelo título", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.