Cruzeiro faz 1 a 0 no Santos e leva vantagem à Vila Belmiro

Cruzeiro faz 1 a 0 no Santos e leva vantagem à Vila Belmiro

Derrota no Mineirão obriga equipe santista a triunfar por dois gols de diferença em casa, na semana que vem, para chegar à decisão

Glauco de Pierri, O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2014 | 00h06

Começar a semifinal da Copa do Brasil com derrota, ainda mais sem fazer gol na casa do adversário, não estava nos planos do Santos. Mas, ao fim dos 90 minutos, a sensação era que a vantagem construída pelo Cruzeiro com a vitória por 1 a 0 poderá ser revertida na Vila Belmiro semana que vem. Mas para isso o time vai precisar jogar bem mais.

O técnico Enderson Moreira preparou o Santos para jogar nos contra-ataques. Sua ideia era usar a velocidade de jovens talentos, como o meia Lucas Lima e os atacantes Gabriel e Rildo, aliada à experiência de Robinho. O problema é que, para isso, a equipe precisaria ter suportado um pouco mais a pressão mineira.

A ideia do treinador foi por água abaixo logo no começo da partida. Se antes dos 10 minutos do primeiro tempo o time tentava esperar o momento certo para sair em velocidade, depois disso precisou dar um jeito de atacar. Tudo porque Willian aproveitou um rebote do instável zagueiro David Bráz e, de esquerda, colocou no canto direito e abriu o placar.

O gol logo no começo deixou o Santos atordoado. O time passou a querer chegar à meta adversária de qualquer maneira e abusou dos chutões. A ligação direta entre a zaga e o ataque não deu certo em nenhum momento e, para piorar, foi o Cruzeiro quem passou a explorar os contra-ataques.

Em um deles, aos 18, quase aumentou o placar. Willian recebeu de Éverton Ribeiro na esquerda e só rolou para Júlio Baptista fazer o segundo gol, mas o meia celeste chegou um pouco atrasado.

Os mineiros perderam mais duas boas chances em sequência. Depois, de forma equivocada, o Cruzeiro desacelerou o jogo e o Santos passou a sofrer um pouco menos.

Mudanças. Na segunda etapa o Santos voltou mais forte. Com a posse de bola, se impôs e passou a encurralar o Cruzeiro em seu campo de defesa. Com os volantes marcando mais à frente, Lucas Lima passou a ter espaço para chegar ao gol adversário. A primeira grande chance surgiu aos cinco minutos, quando Gabriel cruzou da esquerda para o meia bater de primeira por cima do gol.

Logo depois, o Santos teve uma grande ajuda da arbitragem. Aos sete minutos, O zagueiro David Bráz perdeu a bola na intermediária e o Cruzeiro atacou com três jogadores. Willian tocou e Júlio Baptista bateu para defesa do goleiro Aranha. Ricardo Goulart fez o gol no rebote, mas o bandeirinha marcou impedimento – um grande equívoco, porque o atacante estava em posição legal.

Os paulistas se refizeram do susto rapidamente. Aos dez, Rildo fez boa jogada pela direita e bateu rasteiro para a área. O goleiro Fábio tentou segurar a bola, mas falhou e soltou no pé de Robinho, que chegou e bateu firme – a bola só não entrou porque desviou no zagueiro Dedé e foi para escanteio.

Aos 30 o Santos perdeu outra grande chance. O volante Alisson recebeu livre na entrada da área, ajeitou a bola e mandou por cima do travessão.

Nos últimos 15 minutos as equipes pareceram sentir o cansaço. Robinho, de tanta ineficiência, acabou sendo sacado para a entrada de Leandro Damião, um homem de área.

Se a esperança de Enderson Moreira era dar mais força ao ataque santista, ele se frustrou. Além de ter ficado pouco tempo em campo, Damião não recebeu uma bola sequer. E, longe da área, não acertou nem mesmo os passes mais curtos. O Cruzeiro ainda perdeu ótima chance com Dagoberto, e o jogou terminou mesmo num magro 1 a 0.

Resta ao Santos buscar um resultado de dois gols de diferença em seu caldeirão. Para isso, vai precisar mais do que nunca do bom futebol de Robinho, Gabriel e Lucas Lima, que pouco produziram nesta quarta-feira.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 1 X 0 SANTOS

CRUZEIRO - Fábio; Mayke, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Éverton Ribeiro (Marlone), Ricardo Goulart e Willian (Dagoberto); Julio Baptista (Marcelo Moreno). Técnico - Marcelo Oliveira.

SANTOS - Aranha; Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Lucas Lima; Gabriel (Serginho), Rildo (Jorge Eduardo) e Robinho (Leandro Damião). Técnico - Enderson Moreira.

GOL - Willian, aos 10 minutos do primeiro tempo. 

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (Fifa/RJ).

CARTÕES AMARELOS - Edu Dracena e Mena (Santos)

RENDA - R$ 1.029.363,00.

PÚBLICO - 25.714 pagantes.

LOCAL - Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.