Cruzeiro faz ataques a Grafite e Leão

Enquanto o clima entre jogadores e comissão técnica do Cruzeiro é de absoluta tranqüilidade para a partida contra o Bahia, no próximo domingo, em Salvador, nos bastidores a temperatura está elevada. Chateado com as declarações do técnico Émerson Leão, do Santos, e com o desfecho das negociações com o atacante Grafite, do Goiás, o presidente Alvimar Perrella, prometeu, nesta sexta-feira, contra-atacar: em relação a Leão, o dirigente disse que irá recorrer à Justiça. Já no caso de Grafite, Perrella disse que as negociações estão encerradas.Segundo o presidente, os procuradores do atacante fizeram uma molecagem com o clube. Há quase uma semana, a diretoria da Raposa vinha negociando para acertar a ida de Grafite para o time mineiro. As partes chegaram até a acertar as bases salariais do contrato. O Cruzeiro iria pagar R$ 1 milhão, por metade dos direitos do jogador, sendo que a outra metade ficaria com o atleta e seus procuradores. "Depois disso, eles nos pediram para acrescentar algumas cláusulas para garantir que pagaríamos o acertado, o que consideramos factível, só que agora, depois de tudo acertado, o procurador dele disse que queria um salário 40% maior do que havia sido acordado. Isso é molecagem e o Grafite é passado no Cruzeiro", garantiu o presidente.Em relação ao técnico Émerson Leão - que teria insinuando que o Cruzeiro, campeão brasileiro com duas rodadas de antecipação, teria contado com o auxílio da arbitragem para chega ao título -, Perrella disse que irá consultar o Departamento Jurídico do clube para tomar atitudes contra o treinador. "Vou procurar nosso advogado para ver o que pode ser feito, pois o que Leão disse é muito grave. Se ele está insinuando que o Cruzeiro comprou árbitros nos jogos que disputou, é preciso que ele dê nomes.A Comissão Nacional de Arbitragem, presidida pelo Márcio Rezende de Freitas, deve tomar também alguma atitude quanto a isso", indignou-se, afirmando que o técnico do Santos, está dizendo bobagens porque perdeu o título, justamente para o Cruzeiro. "Isso é dor de cotovelo. O time dele levou dois chocolates, um aqui e outro em Santos, e agora ele está chorando, mas é choro de perdedor", alfinetou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.