Cruzeiro festeja superação após empate na Bolívia

Depois de empatar por 1 a 1 com o Real Potosí, na última quarta-feira à noite, na Bolívia, pela fase preliminar da Copa Libertadores, em um jogo disputado a quase 4 mil metros de altitude, os jogadores do Cruzeiro festejaram o poder de superação da equipe no confronto.

AE, Agencia Estado

28 de janeiro de 2010 | 10h30

O desgaste provocado pela altitude foi agravado pelo fato de o meia Gilberto ter sido expulso logo aos 20 minutos do primeiro tempo, por ter agredido um adversário, fato que obrigou o time a ter de se desdobrar na marcação.

"Valeu o resultado, apesar de termos levado um gol no finalzinho. A equipe sentiu o desgaste, porque é difícil jogar na altitude. Mas o Cruzeiro está de parabéns pela determinação de todo mundo", ressaltou o volante Marquinhos.

O jogador também destacou o planejamento do time, que chegou a Sucre, cidade posicionada a 2.800 metros de altitude, já na última sexta-feira, visando uma melhor aclimatação. "Com certeza, foi muito bom este tempo em Sucre. Agora, o Real Potosí vai ter que sair para o jogo em Belo Horizonte. O empate por 0 a 0 classifica o Cruzeiro", lembrou.

O discurso do volante Henrique, outro que sofreu muito com o desgate, foi semelhante ao de Marquinhos depois do duelo. "Foi muito difícil e o Cruzeiro suportou todos os problemas. Agora, vamos decidir em casa esta classificação", vislumbrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.