Divulgação / Cruzeiro
Divulgação / Cruzeiro

Cruzeiro formaliza renovação do contrato de patrocínio com a Caixa por um ano

Clube terá apenas a frente da camisa estampada com a marca do banco estatal

Redação, Estadão Conteúdo

24 de abril de 2018 | 13h30

O Cruzeiro formalizou nesta terça-feira a renovação do seu contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal. O acordo, válido por um ano, foi assinado na presença do presidente do clube mineiro, Wagner Pires de Sá, e do superintendente regional da instituição financeira, Jânio Antunes.

+ Sem vencer há 3 jogos, diretoria do Cruzeiro cobra Mano e elenco

+ Veja os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil

A Caixa, assim, seguirá sendo a patrocinadora master do Cruzeiro, sendo estampada na parte da frente da camisa. E o valor a ser recebido pelo time mineiro poderá ser de um total de R$ 16,8 milhões, dependendo da cumprimento de objetivos. O valor fixo é de R$ 10 milhões, o mesmo que anteriormente havia sido acerto com o Atlético Mineiro.

"Hoje é um dia muito especial para nós. Formalizamos a renovação com a Caixa Econômica Federal, que é a maior instituição financeira do país. É de uma relevância enorme o apoio da empresa aos clubes e aos projetos culturais e educacionais. É um prazer imenso ter a Caixa como nossa companheira", comentou Wagner Pires de Sá.

Anteriormente, o Cruzeiro também estampava a marca da Caixa também nas costas da sua camisa, algo que não ocorrerá nesta temporada, deixando o clube livre para buscar um novo patrocinador.

"Estamos indo para o terceiro ano de parceria com o clube. O Cruzeiro é uma das marcas mais importantes do futebol, é conhecido no planeta inteiro e ajuda a levar a marca da Caixa até onde ela ainda não tinha chegado. A Caixa tem se internacionalizado cada vez mais e temos a certeza de que com o Cruzeiro a gente continuará atingindo um público apaixonado, que segue o Cruzeiro e que seguirá também a Caixa", comentou Jânio Antunes, superintendente da Caixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.