Cruzeiro freia entusiasmo para tentar surpreender o Boca

Time quer esquecer a goleada sobre o Atlético-MG para conseguir um bom resultado no La Bombonera

Eduardo Kattah, O Estado de S. Paulo

29 de abril de 2008 | 19h33

O Cruzeiro precisou frear o entusiasmo gerado pela goleada sobre o rival Atlético Mineiro e a iminente conquista do Campeonato Mineiro para encarar o primeiro compromisso contra o Boca Juniors pelas oitavas-de-final da Libertadores. No jogo desta quarta-feira, às 17h40, no tradicional estádio La Bombonera, em Buenos Aires, o treinador Adilson Batista sabe que não poderá dar espaços para o meia Riquelme, principal jogador da equipe argentina. Veja também: Calendário e resultados Adilson saiu do vestiário do Mineirão afirmando que já estava com Riquelme "na cabeça". A aposta é que um marcador celeste será incumbido da missão de "grudar" no craque portenho. "O Riquelme é o jogador que alimenta, que organiza, que cria", ressaltou o treinador nesta terça-feira, após o treino de reconhecimento do estádio, já na capital argentina.  Para Adilson, seu time não pode ter medo de enfrentar o atual campeão da Libertadores. "É um adversário tradicional e nós temos de ter todo cuidado. Mas tenho certeza de que pelo lado deles também haverá respeito." Boca JuniorsCaranta; González, Maidana, Cáceres e Monzón; Battaglia, Vargas, Dátolo e Riquelme; Palacio e PalermoTécnico: Carlos IschiaCruzeiroFábio; Marquinhos Paraná, Thiago Heleno, Espinoza e Jadílson; Henrique, Ramires, Charles e Wagner; Guilherme (Fabrício) e Marcelo MorenoTécnico: Adilson BatistaÁrbitro: Jorge Larrionda (URU)Estádio: La Bombonera, em Buenos Aires (ARG)Horário: 17h40TV: SporTVComo de costume, ele não definiu o time que começa jogando. Procura fazer mistério, mas a única dúvida está na entrada ou não do meio-campista Fabrício. Nesse caso, o técnico optaria por uma formação mais cautelosa, adiantando o meia Wagner e sacando o atacante Guilherme. Outra possibilidade é a manutenção do time que iniciou a goleada sobre o Atlético.  O Boca tem um desfalque importante para o jogo: o lateral paraguaio Morel Rodríguez, que se recupera de uma lesão muscular e dá lugar a Monzón. O time também chega pressionado, depois de ser derrotado pelo San Lorenzo no último fim de semana, e ficar em situação difícil no Torneio Clausura. Por isso, o técnico Carlos Ischia promete botar o time no ataque. "Vamos sair para ganhar, com a maior quantidade possível de gols. Precisamos ter atenção atrás, mas estou convencido de que vamos nos classificar", prevê.

Tudo o que sabemos sobre:
CruzeiroBoca JuniorsCopa Libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.