Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Cruzeiro ganha do São Paulo no Morumbi e encaminha vaga na Copa do Brasil

Falhas defensivas do tricolor colocam equipe mineira com vantagem para jogo de volta em Belo Horizonte

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2017 | 23h35

O Cruzeiro quebrou uma invencibilidade de quase oito meses do São Paulo no Morumbi, fez 2 a 0 pela Copa do Brasil e ficou em boa vantagem para o jogo de volta, na quarta-feira, em Belo Horizonte. Com o resultado, o time paulista precisa ganhar pelo mesmo placar, para levar para os pênaltis, ou por uma diferença de dois ou mais gols para não ser eliminado.

Desde o início o jogo foi muito amarrado. Os dois times têm jogadores habilidosos no meio e na frente, mas a forte marcação imperou em cima dos atletas de criação. Tanto que foram poucas as chances claras de gol no primeiro tempo. A primeira delas, em uma jogada de Jucilei, Luiz Araújo recebeu o passe na área, chutou e Rafael espalmou.

A proposta do time mineiro era de fazer uma marcação firme, pressionando a saída de bola do adversário, apostando nos contra-ataques. Só que o São Paulo conseguia tocar bem a bola na defesa, o problema era na frente. Foram muitos erros de passe no ataque, o que facilitava a vida da zaga cruzeirense.

A fim de tentar mudar o panorama, o técnico Rogério Ceni tirou Wellington Nem da direita e colocou na esquerda, trocando de posição com Luiz Araújo. Depois, inverteu o posicionamento novamente. Já Mano Menezes dava um pouco mais de liberdade para Arrascaeta, deixando o jogador no ataque ao lado de Ábila.

Aos 37, em um longo lançamento para o ataque, Wellington Nem partiu em velocidade e se chocou com o goleiro Rafael, que ficou com a bola. A torcida do São Paulo ficou pedindo pênalti, mas o juiz Anderson Daronco mandou seguir. E antes do intervalo, Arrascaeta cruzou para Ábila, mas o atacante pegou mal e desperdiçou grande chance.

Na etapa final, as duas equipes voltaram na mesma toada. O São Paulo pecava na criação das jogadas e os atacantes pelos lados, Wellington Nem e Luiz Araújo, pouco produziam. A situação piorou aos 16 minutos, quando numa cobrança de falta Pratto mandou contra o próprio gol e abriu o placar para o Cruzeiro.

O gol caiu como um ducha de água fria na torcida que enchia o Morumbi. O time tentou reagir com Pratto, desta vez no gol correto. Ele mandou de cabeça e obrigou Rafael a fazer ótima defesa, espalmando a bola para o lado. Neste momento Thomaz já estava em campo, no lugar de Nem.

Só que aos 24 a situação do time da casa ficou ainda mais complicada. Novamente em uma jogada de bola parada, Thiago Neves levantou na área, Hudson cabeceou e fez o segundo do Cruzeiro. O volante, que pertence ao São Paulo e está emprestado ao time mineiro, comemorou recebendo o abraço dos companheiros.

O São Paulo foi para o tudo ou nada e Ceni até colocou Gilberto, artilheiro do time no ano, para jogar na área junto com Pratto e tentar ganhar no jogo aéreo. Mas mesmo com bolas levantadas na área, o time não conseguiu diminuir a vantagem do rival e ficou em situação bastante complicada na Copa do Brasil e dias antes do clássico com o Corinthians, no domingo, pela semifinal do Paulistão.


FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 0 x 2 CRUZEIRO

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini (Araruna), Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; Jucilei, Thiago Mendes e Cícero (Gilberto); Wellington Nem (Thomaz), Pratto e Luiz Araújo. Técnico: Rogério Ceni.

CRUZEIRO: Rafael; Mayke, Léo, Manoel e Diogo Barbosa; Hudson (Lucas Romero), Ariel Cabral, Thiago Neves (Alisson) e Rafinha;  Ábila (Raniel) e Arrascaeta. Técnico: Mano Menezes.

GOLS: Pratto (contra), aos 16, e Hudson, aos 24 minutos do 2º tempo.

ÁRBITRO: Anderson Daronco (RS).

CARTÕES AMARELOS: Jucilei, Thiago Mendes, Ariel Cabral e Ábila.

RENDA: R$ 1.065.916,00.

PÚBLICO: 43.662 pagantes.

LOCAL: Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.