Cruzeiro goleia Atlético-MG e fica perto do bicampeonato

Time do técnico Adílson Batista faz 5 a 0 diante da equipe de Emerson Leão em jogo quente no Mineirão

Eduardo Kattah, Agencia Estado

26 de abril de 2009 | 18h34

Divulgação/Vipcomm

Zagueiro Leonardo Silva comemora um de seus dois gols da goleada do Cruzeiro com o volante Fabrício

BELO HORIZONTE - O Cruzeiro colocou as mãos na taça de bicampeão mineiro ao golear o Atlético-MG por 5 a 0, no Mineirão, neste domingo, no primeiro clássico da decisão do Estadual. O time da Toca da Raposa reverteu a vantagem do adversário e no próximo domingo pode até perder por quatro gols de diferença que ainda assim garantirá o título.

O Atlético-MG entrou na decisão com a vantagem de jogar por dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols. Mas reviveu a primeira partida da final de 2008, quando também foi goleado por 5 a 0, e amargou mais uma derrota para o maior rival - que ampliou para 11 jogos a invencibilidade no clássico.

Antes mesmo do apito final do árbitro Paulo César de Oliveira, a torcida cruzeirense já comemorava na arquibancada com gritos de "bicampeão". Resignado, o lateral Júnior deixou o campo admitindo a missão agora do Atlético é "quase impossível".

No primeiro tempo, como já se esperava, os atacantes Kléber e Diego Tardelli protagonizaram os melhores momentos de Cruzeiro e Atlético, respectivamente. O técnico do Galo, Emerson Leão, optou por uma formação de forte marcação no meio. Sem poder contar com o atacante Éder Luís, escalou quatro volantes, adiantando o meia Lopes. Rafael Miranda ganhou nova chance entre os titulares e foi incumbido de grudar em Kléber.

Mas o atacante foi achando espaço em meio à cerrada marcação. Em algumas jogadas, se estranhou com o zagueiro Leandro Almeida e quando o time alvinegro era melhor em campo, abriu o marcador para o Cruzeiro, aos 39 minutos. O meia Wagner foi lançado na área e tocou de calcanhar; Kléber emendou de primeira, fazendo 1 a 0.

Na comemoração, o atacante provocou a torcida atleticana, imitando uma galinha. Foi punido com o cartão amarelo. Até então, a partida seguia equilibrada, com as duas equipes alternando chances. Um minuto antes, o goleiro Fábio evitou o gol do Atlético-MG ao defender uma cabeçada na pequena área de Leandro Almeida. Dos pés de Diego Tardelli surgiam as melhores oportunidades.

Mas na etapa final, o Cruzeiro envolveu o adversário desde o início e dominou amplamente. O jogo foi liquidado em duas jogadas de bola parada. Aos 10 minutos, após cobrança de escanteio da direita, o zagueiro Leonardo Silva, mesmo sem ângulo, na segunda trave, balançou as redes. O goleiro Juninho ficou olhando a bola atravessar a área. Seis minutos depois, um novo escanteio cobrado por Wagner encontrou o mesmo Leonardo Silva na entrada da pequena área. O zagueiro de 1,92m cabeceou no canto direito de Juninho: 3 a 0.

A situação atleticana ficou ainda mais complicada com a expulsão do volante Renan, logo depois, aos 18 minutos. Leandro Almeida e o volante Ramires, do Cruzeiro, também receberam o vermelho.

Retrato da superioridade azul no segundo tempo, o lateral Jonathan, com liberdade pela direita, marcou os dois gols derradeiros, aos 33 e aos 41 minutos. "Precisávamos reverter a vantagem e foi o que aconteceu", comemorou. "Esse resultado a gente nunca esperava", lamentou Rafael Miranda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.