Cruzeiro ignora árbitro e se concentra em bater o Vasco

A gritaria do Cruzeiro na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, na última rodada, transferiu para a arbitragem todas as atenções do confronto contra o Vasco, neste domingo, às 19h30, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro. A diretoria do time mineiro não economizou nas críticas à atuação do árbitro Sandro Meira Ricci. Dirigentes celestes protestaram formalmente na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e fizeram questão de acompanhar o sorteio do trio que apita o confronto contra os cariocas.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

21 de novembro de 2010 | 08h27

Os representantes do Cruzeiro consideraram positiva a escolha do árbitro Leandro Pedro Vuaden, do Rio Grande do Sul. Porém, no acanhado estádio de Sete Lagoas a pressão sobre a arbitragem deverá ser enorme.

Apesar do discurso de que os problemas no jogo contra o Corinthians ficaram para trás, os próprios atletas sugerem que o clima na Arena do Jacaré não será dos mais amistosos.

Este ano, Vuaden apitou duas partidas do Cruzeiro pelo Brasileirão: os empates por 2 a 2 com o Guarani, em Campinas, e com o São Paulo, no Morumbi. O time mineiro está em terceiro lugar na tabela de classificação, com 60 pontos, três a menos que o alvinegro paulista, líder do campeonato. Além de vencer os últimos três jogos, terá de torcer por tropeços do Corinthians e Fluminense, vice-líder com 62 pontos.

Contra o Vasco, o time do técnico Cuca entrará em campo sabendo os resultados dos adversários, que jogam às 17 horas. "Se eles tropeçarem e nós não fizermos nossa parte, não vai adiantar nada. Vamos para o jogo concentrados e com o pensamento de vencer", ponderou o lateral-esquerdo Diego Renan, provável substituto de Gilberto, que cumpre suspensão.

Na Toca da Raposa, a ordem é de levar para campo o lema "Eu acredito", criado pela torcida na reta final do campeonato. Os torcedores celestes prometem lotar o pequeno estádio de Sete Lagoas. Quase 14 mil de um total de 18 mil ingressos já haviam sido vendidos antecipadamente até sexta-feira.

A principal dúvida de Cuca para a definição do time que começa jogando era a escalação do meia Montillo, que na última partida sofreu uma torção no tornozelo esquerdo. O argentino treinou durante a semana passada, mas não estava garantido pelo departamento médico. Se for vetado, Roger será o titular da armação.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.