Washington Alves/Vipcomm
Washington Alves/Vipcomm

Cruzeiro inova e faz apresentação do zagueiro Dedé em supermercado

Estratégia de marketing do clube foi ligar a chegada do reforço ao plano de sócio-torcedor

O Estado de S. Paulo

19 Abril 2013 | 16h09

BELO HORIZONTE - O Cruzeiro inovou surpreendeu ao apresentar o zagueiro Dedé, o mais caro reforço da sua história. Nesta sexta-feira, o clube reuniu os jornalistas no seu centro de treinamento e levou os profissionais de imprensa até um supermercado na capital mineira. Ali promoveu uma ação de marketing com seu novo jogador.

A inovação, por incrível que pareça, estava diretamente ligada à contratação do zagueiro. Isso porque, segundo o presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares, a compra de Dedé só foi possível graças à renda que o Cruzeiro tem recebido pelo seu reformulado programa de sócio-torcedor, ligado ao Movimento Por Um Futebol Melhor.

O projeto, que inclui todos os grandes clubes do futebol brasileiro, oferece desconto em serviços e produtos, a maior parte deles quando adquiridos em supermercados, a quem aderir aos programas de sócios-torcedores. De acordo com o site do Futebol Melhor, o Cruzeiro é o terceiro time com mais associados, atrás de Corinthians e Santos.

Nesta sexta, pouco antes de apresentar Dedé, o Cruzeiro anunciou que chegou à marca de 25 mil sócios-torcedores (eram 25.172 às 16h30 desta tarde). Por isso, abriu um novo plano, chamado "Copa do Brasil", com 5 mil novas vagas.

"Neste ano de 2013, o Cruzeiro foi o clube que mais cresceu em números de sócios. No primeiro semestre, o Cruzeiro contava com pouco mais de 7 mil sócios, mas com um crescimento de 250% de associados, o clube agora totaliza 25 mil torcedores vinculados ao programa. Com isso o clube vem gerando acha vez mais renda, para investir em grandes jogadores, formação de atletas na base e infraestrutura", diz nota publica no site da equipe.

Na apresentação de Dedé, o jogador simulou uma compra no supermercado Supernosso Xuá. Com um carrinho pegou produtos de empresas ligadas ao Futebol Melhor. O jogador, depois, brincou, lamentando que comprou, mas não levou nada para casa.

Mais conteúdo sobre:
futebolCruzeiroDedé

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.