Cruzeiro joga um tempo e faz 5 na Ponte

O reencontro com o técnico Marco Aurélio foi bastante amargo para a Ponte Preta. O Cruzeiro, atualmente comandado pelo ex-treinador do time campineiro, goleou neste sábado o rival por 5 a 0, no Mineirão, em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Foi a maior goleada do time mineiro na competição, resultado que encerrou um jejum de cinco rodadas sem triunfos em casa. O Cruzeiro não vencia em Belo Horizonte pelo Brasileirão desde o dia 11 de agosto, quando derrotou o Flamengo por 2 a 0. Agora, o time celeste soma 46 pontos e a Ponte permanece com 53. Os gols foram marcados na etapa inicial pela dupla de ataque Fred (3) e Jussiê (2).Em ritmo de treino e encontrando muitas facilidades para entrar na defesa da equipe paulista, o Cruzeiro construiu uma goleada já no primeiro tempo. O time mineiro precisou de apenas seis minutos para inaugurar o placar. O volante chileno Maldonado fez grande jogada e serviu Fred, que concluiu com tranqüilidade.Quatro minutos depois, o lateral-esquerdo Leandro - que voltou ao time titular neste sábado, já que o argentino Sorín, lesionado, não passou no teste feito no vestiário - cobrou falta da entrada da área e acertou o travessão do gol adversário.Mas não demorou muito para que a equipe da casa chegasse ao segundo gol, novamente com Fred. Oportunista, o atacante celeste, mesmo pressionado por dois adversários, fez 2 a 0, aos 14 minutos. Bem à vontade em campo, o Cruzeiro dominava praticamente todas as ações ofensivas, encurralando a equipe de Campinas. Aos 26 minutos, o atacante Jussiê aproveitou um rebote do goleiro Lauro para marcar o terceiro. Nove minutos depois, aos 35, ele se antecipou à zaga da Ponte para fazer 4 a 0.No quinto gol, aos 40 minutos, o time mineiro contou com a colaboração de Lauro, num chute de fora da área de Fred. O goleiro da Ponte foi na bola mas, confiando que ela sairia, não esticou o braço para fazer a defesa. Foram cinco gols num total de 12 finalizações nos primeiros 45 minutos.Na etapa final, o Cruzeiro desacelerou e passou a administrar a larga vantagem. O time do técnico Nenê Santana, porém, continuava sem a menor inspiração e quase não levou perigo ao gol de Artur.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.