Cruzeiro manterá espírito guerreiro para bater Grêmio

Cruzeiro e Grêmio iniciam nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, em Belo Horizonte, o confronto brasileiro pela rodada de ida das semifinais da Copa Libertadores. Na busca por uma vaga na final, o time mineiro não espera nada mais do que manter o atual retrospecto em casa na competição internacional.

EDUARDO KATTAH, Agencia Estado

24 de junho de 2009 | 08h13

Contra o clube tricolor gaúcho, o Cruzeiro defende um aproveitamento de 100%. Em cinco jogos, foram cinco vitórias. "Cada jogador tem que pensar assim, incorporar aquele espírito que incorporamos contra o São Paulo, todo mundo correndo, todo mundo se ajudando. Temos que fazer a mesma coisa até o final. Se a gente fizer isso, tenho certeza que temos grandes chances de sermos campeões", ressaltou Kléber.

Além de iniciar o duelo com um triunfo, os jogadores do Cruzeiro ressaltam também a importância de não sofrer gols em casa. "Com um equilíbrio defensivo, todos se ajudando, você pode conquistar uma boa vitória. É ruim sofrer o gol dentro de casa em uma competição como a Libertadores ou a Copa do Brasil, pode complicar para o segundo jogo", destacou o zagueiro Leonardo Silva.

O técnico Adilson Batista comandou um coletivo secreto nesta terça, na Toca da Raposa II. A boa notícia foi a recuperação do atacante Thiago Ribeiro, que foi liberado pelo departamento médico. Relacionado para a partida, ele poderá retomar a dupla de frente com Kléber. "Estou liberado, feliz por voltar a jogar", afirmou.

Mas a tendência é que Adilson mantenha Wellington Paulista como titular e opte pela entrada de Thiago Ribeiro no decorrer do jogo. O atacante - que sofreu uma lesão muscular na coxa direita, no final de maio, na vitória sobre o São Paulo, pela partida de ida das quartas-de-final - se recuperou mais rapidamente do que o previsto.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLibertadoresCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.