Cruzeiro não aceita renegociar Sorín

O Cruzeiro recebeu na tarde desta segunda-feira um fax da Lazio, no qual o clube italiano solicita a renegociação da dívida referente à venda do lateral-esquerdo Sorín. Os direitos federativos do argentino foram vendidos para o clube europeu no primeiro semestre deste ano por US$ 9,5 milhões. Segundo a Assessoria de imprensa do clube mineiro, a diretoria mineira não aceita rever os valores da negociação, o que poderá implicar na devolução do jogador. O diretor do fundo de investimento norte-americano, Hicks, Muse, Tate & Furst (HMTF) - ex-parceiro do Cruzeiro e dono de 50% dos direitos sobre a venda de Sorín -, Adhemar Magon, viaja nesta quarta-feira para a Itália para se encontrar com os dirigentes italianos. O vice-presidente de Futebol do Cruzeiro, Alvimar de Oliveira Costa, pode acompanhá-lo na viagem. À imprensa italiana, o presidente da Lazio, Sergio Cragnotti, argumenta que o preço pago por Sorín foi acima dos "valores de mercado" e por isso está solicitando a revisão da dívida. A primeira parcela da venda, no valor de US$ 3,5 milhões, vencida no início de agosto, ainda não foi paga pelos italianos e o Cruzeiro ainda não enviou a documentação da transferência do lateral, o que impede que ele atue pelo novo clube. A previsão é que as outras parcelas fossem quitadas em agosto do ano que vem e agosto de 2004. A multa rescisória, de acordo com o assessor de imprensa, Valdir Barbosa, é de 10% (US$ 950 mil) do valor total da venda. Além de cobrar a multa, caso "mele" a transferência do argentino, o Cruzeiro acionará a Fifa exigindo uma indenização por perdas e danos.

Agencia Estado,

19 Agosto 2002 | 20h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.