Cruzeiro nega supersalário de Rincón

O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella de Oliveira Costa, garantiu nesta segunda-feira que o salário acertado com o volante colombiano Freddy Rincón, que deve apresentar-se ao clube ainda esta semana, não é tão alto como tem sido comentado em Belo Horizonte. A imprensa local divulgou que o jogador receberia cerca de R$ 350 mil por mês. Isso deixou os torcedores do time preocupados com problemas de relacionamento que poderiam surgir entre o novo reforço e os demais atletas do grupo ou mesmo com o técnico Paulo César Carpegiani, já que todos têm vencimentos inferiores."Posso assegurar aos torcedores cruzeirenses que o salário de Rincón não é o que foi divulgado e não foge do padrão do Cruzeiro para jogadores de maior prestígio, como Sorín e Oséas", afirmou Perrella. Mesmo sem revelar os valores exatos, o presidente lembrou que o dinheiro do empréstimo do passe do atacante Marcelo Ramos para o Nagoya Gramphus, do Japão (ele vai a partir de julho e fica por um ano ao preço de US$ 650 mil), é suficiente para pagar Rincón, que alugou seu passe ao time mineiro por 12 meses.Negócios - A diretoria do Cruzeiro não quis comentar a proposta feita pelo São Paulo para trocar os passes do meia Jackson com o de Souza, que está na reserva são-paulina. De acordo com o vice-presidente do clube mineiro e irmão de Perrella, Alvimar, esse assunto só deverá ser discutido depois da Copa dos Campeões. O objetivo é evitar que especulações prejudiquem a concentração do jogador na competição.Jackson, aliás, pode ganhar uma oportunidade no time titular do Cruzeiro no segundo e decisivo jogo com o Flamengo, pelas semifinais da Copa dos Campeões, quarta-feira, em João Pessoa (PB). Ele é uma das opções do técnico Carpegiani para compor a equipe, após as expulsões do ala Sorín e do meia Ricardinho no empate sem gols de sábado, contra os cariocas.Outra novidade no time deve ser a escalação, pela primeira vez na era Carpegiani, da zaga titular do ex-técnico do Cruzeiro, Luiz Felipe Scolari. Cris e Luisão, que nas últimas semanas integravam as seleções brasileiras principal e sub-20, estarão à disposição do treinador. Com isso, Cléber e Bill podem ir para a reserva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.