Cruzeiro percebe erro, mas mantém festa para Montillo

O Cruzeiro divulgou nesta terça-feira que, três dias depois anunciar que Montillo havia se tornado o maior artilheiro estrangeiro da história do clube, percebeu que esta informação não era verdadeira. Na verdade, o recorde segue pertencendo ao espanhol Fernando Carazo, que defendeu o clube por três fases, entre 1928 e 1942. Neste período, jogou 113 vezes e marcou 44 gols. Já Montillo participou de 81 partidas, com 30 gols.

AE, Agência Estado

28 de fevereiro de 2012 | 19h58

Montillo marcou os dois gols da vitória sobre o Democrata, de Governador Valadares, no último sábado, por 2 a 0, pelo Campeonato Mineiro. Na ocasião, o Cruzeiro divulgou que o argentino se tornava o maior artilheiro estrangeiro da história celeste. Ele seria homenageado pelo feito antes da partida contra o América, de Teófilo Otoni, neste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas.

Mesmo sem o recorde, o Cruzeiro vai manter a festa, mas também homenageará Carazo. Um será exaltado como maior artilheiro da era moderna. O outro, o maior artilheiro do Palestra Itália.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroMontillo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.