Cruzeiro prevê complicado confronto contra o Criciúma

Marcelo Oliveira espera jogo acirrado entre as equipes no Heriberto Hulse, apesar das posições em que ocupam no Brasileirão

Marcelo Portela, Estadão Conteúdo

09 de agosto de 2014 | 08h25

Apesar da ótima fase e da liderança isolada no Campeonato Brasileiro, o técnico do Cruzeiro, Marcelo Oliveira, espera um jogo "acirrado e competitivo" neste sábado contra o Criciúma. E, segundo o treinador, a equipe entrará no estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC), para disputar a 14.ª rodada da competição, a partir das 18h30, com atenção especial às bolas paradas.

Marcelo Oliveira afirmou nesta sexta-feira que o time espera um confronto "difícil", mas salientou que a equipe celeste "não teme nada". "Estamos preparados para todas as situações. Temos é que nos adaptar ao tipo de jogo, mais acirrado", disse. "Eles têm o mérito de aproveitar muito bem a bola parada porque o Paulo Baier é um excelente batedor", acrescentou o técnico.

Para a partida, Marcelo Oliveira já confirmou o time que entrará em campo. O único desfalque para o compromisso é Henrique, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Ele dará lugar a Nilton, que atuará pela primeira vez na competição ao lado de Lucas Silva, refazendo dupla que teve atuação de destaque na conquista do Brasileirão no ano passado.

Embalado pela vitória no Pleno do STJD, o Criciúma recebe o líder Cruzeiro em casa. O tribunal julgou falha da CBF no "caso Cristiano" e manteve os três pontos que seriam tirados caso fosse constatada irregularidade na escalação do atacante diante do Goiás, na segunda rodada. Com 15 pontos na tabela de classificação, o time busca mais um bom resultado, desta vez dentro de campo, para se afastar de vez da zona de rebaixamento.

Há três jogos sem vencer, a equipe catarinense usa como exemplo seu último triunfo no torneio, sobre o Fluminense, para acabar com a sequência de cinco partidas de invencibilidade do líder. "Temos que enfrentar o Cruzeiro da mesma maneira que foi contra o Fluminense, com a entrega no máximo", comentou o goleiro Luiz durante a semana. "O Criciúma se prepara para um jogo como se fosse para uma guerra. Temos o dever de fazer um grande resultado em casa para sair de perto da zona ruim", completou.

Preocupado com o poderio ofensivo adversário, que já balançou a rede 29 vezes em 13 partidas, o técnico Wagner Lopes aventa a possibilidade de escalar um time com maiores precauções defensivas. Na última quinta-feira, o comandante sacou o atacante Lucca, que vinha treinando entre os titulares, e colocou em seu lugar o volante Serginho.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.