Cruzeiro quer evitar expulsões corrigindo posicionamento

As expulsões têm prejudicado o Cruzeiro ao longo do ano. Em 46 partidas, a equipe recebeu cartão vermelho em 16 ocasiões, um a cada 2,8 partidas. No último deles, no domingo, contra o Fluminense, Leonardo Silva matou um contra-ataque e deixou a equipe com um jogador a menos durante boa parte do segundo tempo. Para o volante Fabinho, a equipe precisa melhorar o posicionamento em campo para evitar essas situações.

AE, Agencia Estado

28 de julho de 2009 | 16h09

"Os cartões estão acontecendo como necessidade. Nessas últimas expulsões nós fomos obrigados a matar a jogada, sempre com o último homem. Temos que corrigir o posicionamento e melhorar mais um pouco", destacou o volante.

Ciente do problema, o atacante Wellington Paulista lamentou o excesso de cartões e explicou como a dinâmica do time fica prejudicada com um jogador a menos.

"Quando tem jogador expulso, o esforço dos outros dez é ainda maior. A zaga fica no mano a mano e os atacantes têm que voltar ainda mais. Ou então um atacante é sacado para colocar um zagueiro. O outro time fica com um a mais e passa a girar a bola e a gente começa a ficar mais desgastado", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.