J F Diório/AE - 12/11/2010
J F Diório/AE - 12/11/2010

Cruzeiro quer Kleber, mas Palmeiras não aceita liberá-lo

Time mineiro tem Libertadores de 2011 como trunfo para tirar atacante do Palmeiras

AE, Agência Estado

26 de dezembro de 2010 | 09h02

O Cruzeiro está na Copa Libertadores, mas o que parece ser sua primeira grande obsessão para a próxima temporada não é o título mais cobiçado pelos clubes brasileiros e sim o atacante Kleber. Seis meses depois de o jogador trocar o time de Belo Horizonte pela volta ao Palmeiras, os dirigentes mineiros ainda pensam no atleta e não desistem de fazer força para levá-lo de volta em 2011.

"Apesar do Luiz Felipe Scolari, naquela oportunidade, ter dito que não abriria mão, eu vejo sim (chance de recontratar Kleber). A família da esposa dele é de Belo Horizonte, o Cruzeiro está na Libertadores e o Palmeiras, não. É uma competição que atrai muito os jogadores, não tenha dúvida disso. Eu tenho uma boa expectativa nesse sentido", disse o diretor de futebol do Cruzeiro, Dimas Fonseca.

Mas, apesar de todas as expectativas dos cruzeirenses em levar Kleber de volta à Troca da Raposa, o Palmeiras não está nem um pouco disposto a liberar seu principal atacante. Em primeiro lugar, por considerar que Kleber é um de seus melhores jogadores (apesar da fase instável no fim da temporada). E um segundo aspecto que conta muito é o fato de o atletas ser um dos pivôs das ações de marketing planejadas pelo clube. Ele, Valdivia e Marcos são os três alvos do departamento, que busca incrementar o orçamento palmeirense com novos produtos para a torcida, como os bonecos deles, recém-lançados.

O próprio jogador tem deixado claro que não pretende se mudar para Minas novamente. Se por um lado ficaria mais próximo à família de sua esposa, em São Paulo moram seus parentes, suas filhas e ficar perto deles foi um dos motivos que o levou a aceitar jogar novamente no Palmeiras.

Rebelde Protegido. É verdade que o clima para Kleber no Palmeiras já foi melhor. Afinal, foi ele o primeiro jogador a criticar abertamente o diretor de futebol do clube, Wlademir Pescarmona, e a cobrar pagamentos atrasados de direitos de imagem - ele é um dos mais bem pagos atletas do elenco, com R$ 410 mil mensais, entre salários e direito de imagem.

Entretanto, o atacante é um dos mais queridos jogadores do presidente Luiz Gonzaga Belluzzo, que faz questão de dizer que não libera seu atacante para jogar em nenhum outro clube.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCruzeiroKleber

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.