Cruzeiro quer manter embalo no Brasileirão contra equipe do Goiás

Líder da competição não terá volante Tinga nem meia Rocardo Goulart, no confronto em Goiânia, no Estádio Serra Dourada

MARCELO PORTELA, Estadão Conteúdo

24 de agosto de 2014 | 09h49

Embalado na liderança isolada do Brasileirão, o Cruzeiro volta a campo neste domingo, quando visita o Goiás, a partir das 18h30, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia. Mesmo fora de casa, o time mineiro quer aproveitar a chance de manter a confortável vantagem na primeira colocação.

O Cruzeiro, no entanto, sofreu um duro golpe às vésperas de confronto com o Goiás pela 17ª rodada do campeonato. O volante Tinga teve confirmada fratura na tíbia e fíbula da perna direita, após choque no treino na sexta-feira. E a missão do técnico Marcelo Oliveira será elevar novamente o moral do grupo.

Apesar de o volante não ter atuado como titular nos últimos jogos, o fato abalou o grupo, pois Tinga é considerado "uma liderança" pelos companheiros. Segundo Marcelo Oliveira, a "fatalidade" acabou com o clima "agradável" que reinava no Cruzeiro por causa da vitória sobre o Grêmio na quinta-feira.

Além de reanimar os jogadores, o técnico pode ter que fazer mudanças no time que entrará em campo no Serra Dourada. O lateral Mayke e o volante Henrique deram sinais de desgaste na última partida e podem ser poupados por Marcelo Oliveira, o que abriria espaço para Ceará e Nilton entre os titulares.

Uma mudança já confirmada é a saída do meia Ricardo Goulart, artilheiro do Brasileirão com nove gols, que está com dores musculares e será poupado. Assim, Marcelo Oliveira deve colocar Júlio Baptista para fazer dupla com Everton Ribeiro no meio-de-campo cruzeirense.

O treinador também afirmou esperar que o adversário traga "muitos problemas" para seu time e lembrou que o clima "muito seco" de Goiânia aumenta o desgaste durante o jogo. "Os jogadores que não estão acostumados sentem um pouquinho", avisou Marcelo Oliveira.

Sob pressão dos números, o Goiás não contará com o esperado retorno do volante Amaral. Lesionado no joelho, o capitão do time segue em tratamento nas próximas três semanas. "O Amaral sempre faz muita falta ao time", disse o goleiro Renan. Para o técnico Ricardo Drubscky, a ausência do capitão na última rodada, quando o Goiás foi goleado pelo Corinthians por 5 a 2 , foi crucial.

Porém, na partida contra o líder, o Goiás tem outras duas preocupações. Uma delas é o saldo negativo de seis gols. A outra é que o time alviverde poderá cair até cinco posições e se aproximar da zona de rebaixamento em caso de mais uma derrota.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoCruzeiroGoiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.