Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Bruno Haddad/Cruzeiro
Bruno Haddad/Cruzeiro

Cruzeiro quer se livrar do fantasma do rebaixamento na Série B contra o Operário-PR, que ainda sonha

Sem mais chance de voltar para a primeira divisão, Felipão monta time para não cair para a Série C

Redação, Estadão Conteúdo

20 de janeiro de 2021 | 06h34

Ainda lutando matematicamente contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série B, o Cruzeiro recebe o Operário-PR, que ainda sonha com o acesso à elite. O confronto está marcado para 21h30 desta quarta-feira, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 36.ª e antepenúltima rodada da Segundona. Mesmo com a chegada de Felipão ao time mineiro, o Cruzeiro continuou flertando com a Série C, o que seria trágico para o clube e sua torcida. O time não tem mais chances de subir.

Os donos da casa somam 44 pontos, enquanto que os visitantes têm 51. Restando apenas três partidas para o término da competição, apenas América-MG, com 69, e Chapecoense, com 67, já carimbaram a ascensão para o Brasileirão de 2021. Oeste, com 26, por outro lado, é o único que já caiu para a Série C.

O Cruzeiro vive momento conturbado, aliás, como foi toda a sua temporada. Além de não conseguir retornar à Série A, os mineiros devem salários da segunda quinzena de outubro, de novembro, dezembro e o 13.º ao elenco. O técnico Luiz Felipe Scolari pode manter a formação que entrou em campo na derrota para o Juventude.

No entanto, Felipão não está satisfeito com o rendimento do grupo. Ainda nesta terça, o lateral-esquerdo Giovanni Palmieri utilizou as redes sociais para se despedir do clube - após marcar um gol em oito jogos com a camisa celeste, o defensor vai disputar o Campeonato Paulista pelo Santo André.

"Me despeço do Cruzeiro com o sentimento de que era para ter sido diferente. Agradeço a oportunidade e lamento muito como tudo ocorreu. Críticas e elogios fazem parte da nossa profissão. Quanto a elas, nunca tive problemas em lidar e aceitar. O que lamento é a maneira como tudo foi conduzido. Fui marginalizado sem ter cometido nenhum ato de indisciplina. Fui impedido de fazer aquilo que mais amo por meses. Espero que ninguém nunca passe por isso", escreveu o atleta, que tinha contrato até o fim de 2021 e vinha treinando separadamente do elenco.

O Operário-PR tem baixas para a partida: o zagueiro Rafael Bonfim, que recebeu o terceiro amarelo diante do CRB, e o meia Tomas Bastos, que continua tratando uma pubalgia. O volante Leandro Vilela, contudo, está novamente à disposição após cumprir suspensão. Além disso, o meia Jean Carlo receberá oportunidade no lugar de Maranhão, conforme revelou o técnico Matheus Costa, em entrevista coletiva.

"Ele entrou contra o Confiança no decorrer do segundo tempo e correspondeu. Agora, demos oportunidade para ele no intervalo (contra o CRB) porque era uma preocupação a carga de jogo. E ele correspondeu. Vai ter condições de atuar mais de um tempo, então, vai iniciar a partida. O Maranhão passa a ser mais uma opção durante o jogo", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.