Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Cruzeiro rebate Corinthians e diz que representantes de Sassá propuseram negócio

Itair Machado, vice-presidente de futebol celeste, afirmou que o clube mineiro foi procurado por representantes de uma empresa que queria realizar a transferência

Estadão Conteúdo

13 de dezembro de 2018 | 19h08

Uma polêmica criada em torno de uma possível transferência do atacante Sassá do Cruzeiro ao Corinthians teve mais um capítulo nesta quinta-feira. Horas depois de o clube paulista emitir uma nota para desmentir as informações do vice-presidente do time mineiro, Itair Machado, de que o jogador recebeu uma proposta da equipe alvinegra, o Cruzeiro rebateu dizendo que foram representantes de Sassá que o procuraram.

"Conforme explicitado pelo Vice-Presidente de futebol celeste, Itair Machado, em entrevista ao programa Bastidores da Rádio Itatiaia, na noite de quarta-feira (12 de dezembro), o Cruzeiro foi procurado por representantes da empresa Traffic, com o intuito de realizar a transferência do atleta Sassá para a equipe paulista. Em contrapartida, foi oferecido ao Cruzeiro um valor em dinheiro (R$ 10 milhões), mais os direitos federativos do atleta Clayson, o que foi prontamente declinado pelo Clube", declarou o Cruzeiro em uma nota oficial divulgada em seu site oficial.

No comunicado, o clube mineiro lamenta a postura que o Corinthians adotou no caso. "Em momento algum, o dirigente estrelado citou que a proposta tenha partido do Corinthians, mas sim de um intermediário, fato que facilmente fica comprovado ao ouvir com a devida atenção a gravação da declaração dada por Itair à emissora de Belo Horizonte", escreveu.

"O Cruzeiro lamenta tal postura vinda do Corinthians, pois os clubes possuem uma boa relação no dia a dia, tanto que o Gerente de Futebol do clube paulista, Alessandro, corriqueiramente vem mantendo contato com a nossa diretoria, manifestando interesse na contratação do atleta Thiago Neves, a qual o Cruzeiro, da mesma maneira, descarta", finalizou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.