Bruno Cantini/Atlético-MG
Bruno Cantini/Atlético-MG

Cruzeiro rebate diretor do Atlético-MG e sugere sala do VAR fora do Independência

Clube celeste postou uma nota em seu site oficial contestando as declarações de Rui Costa, dirigente atleticano

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2019 | 16h06

A semana de preparação para a segunda partida da final do Campeonato Mineiro entre Atlético-MG e Cruzeiro, que será neste sábado, às 16h30, no estádio Independência, em Belo Horizonte, está sendo marcada por polêmicas. Nesta quarta-feira, o diretor de futebol do clube celeste, Marcelo Djian, disse que o rival adotou uma postura de reclamações públicas para pressionar a arbitragem, incluindo uma declaração do novo diretor de futebol, Rui Costa, na última semana, sobre o clima para a decisão do Estadual.

Para se precaver, o Cruzeiro revelou que já enviou ao presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), Adriano Aro, e ao presidente da Comissão de Arbitragem, Giulliano Bozzano, um ofício no qual sugere que a sala do VAR (árbitro de vídeo) seja montada fora do estádio Independência.

No último domingo, após a vitória do Cruzeiro por 2 a 1, no Mineirão, Rui Costa deu uma declaração na entrevista coletiva que, segundo o time celeste, preocupa. "Eu acredito, firmemente, que junto com o nosso torcedor no Independência, vai ser difícil ter o lapso do VAR", afirmou o dirigente atleticano, que reclamou de lances polêmicos no clássico.

O Cruzeiro, em nota publicada no site oficial do clube, disse que "entende que a declaração do dirigente, dada em entrevista coletiva após a primeira partida da final, possui um tom de ameaça que pode vir a prejudicar a lisura e a eficiência da ferramenta (o VAR) caso a mesma seja solicitada durante o jogo".

O clube celeste completa a nota mostrando preocupação com a segurança da arbitragem, se baseando em uma declaração do árbitro mineiro Igor Junio Benevenuto, auxiliar do VAR no primeiro jogo da final, em entrevista à Rádio 98, na noite da última terça. Mesmo sem tomar qualquer decisão no árbitro de vídeo, no último domingo, passou a ser ameaçado após a partida por pessoas que descobriram o seu telefone e seus perfis em redes sociais. O árbitro informou, na entrevista, que iria tomar providências junto à FMF.

"Estamos indo para uma final onde está sendo dirigida uma pressão de que no primeiro jogo o adversário foi prejudicado e nós, o Cruzeiro, beneficiado. Nós não pensamos dessa maneira. Existiram erros e acertos para as duas partes, os dois clubes, mas estamos vendo, até mesmo com declarações de dirigentes adversários que no Independência o VAR será diferente porque a torcida estará lá, que não terão a mesma coragem que tiveram no Mineirão. Acho que o futebol não é isso, é muito maior que isso. Esperamos que a arbitragem tenha tranquilidade, serenidade e principalmente idoneidade para fazer um bom trabalho, para que o futebol seja ganho dentro de campo, entre os 22 atletas. É o que o Cruzeiro espera para o próximo sábado", alertou Djian.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.