Divulgação/Vipcomm - 05/03/2010
Divulgação/Vipcomm - 05/03/2010

Cruzeiro recebe Nacional em clima de provocação

Equipe mineira pede respeito e promete eficiência no Mineirão, às 19h, pelas oitavas da Libertadores

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

29 de abril de 2010 | 07h32

Com força máxima, o Cruzeiro recebe o Nacional nesta quinta-feira, a partir das 19 horas, no Mineirão, pelas oitavas de final da Libertadores. E o clima de provocação, tão tradicional entre brasileiros e uruguaios, já marca o confronto antes mesmo de a bola rolar.

Supostas declarações provocativas do técnico do Nacional, Eduardo Acevedo, à imprensa de seu país serviram como motivação para os jogadores do Cruzeiro, que prometeram responder em campo. Além de ressaltar que o time uruguaio deveria fazer valer sua maior tradição no Mineirão, ele teria dito que a defesa cruzeirense é desorganizada.

Mas, na chegada da delegação do Nacional a Belo Horizonte, Eduardo Acevedo minimizou a polêmica e disse que suas declarações foram distorcidas pela imprensa uruguaia. Mesmo assim, o clima já esquentou para o jogo que acontecerá nesta quinta-feira no Mineirão.

"Temos que continuar trabalhando e dar a resposta em campo, provar para eles o quanto é eficiente a equipe do Cruzeiro", reagiu o zagueiro e capitão Leonardo Silva. "Hoje todo mundo reconhece a força do Cruzeiro. Acho que tem que respeitar", reforçou o volante Fabrício.

O técnico Adilson Batista não tem problemas para a escalação do time. A principal novidade será a volta de Kléber ao ataque titular, tendo como companheiro Thiago Ribeiro. Na zaga, Gil deverá ser escalado para atuar ao lado de Leonardo Silva. E no meio, a expectativa é que Gilberto seja mantido na armação, deixando Roger na reserva.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.