Gustavo Aleixp/Cruzeiro
Gustavo Aleixp/Cruzeiro

Cruzeiro recebe ordens de pagamentos da Fifa e corre o risco de nova punição

Equipe mineira é cobrada para quitar pagamentos referentes aos atacantes Rafael Sóbis e Pedro Rocha

Redação, Estadão Conteúdo

23 de junho de 2020 | 14h17

O Cruzeiro pode ter novos problemas com a Fifa. Nesta terça-feira, o clube mineiro informou que recebeu mais duas ordens finais de pagamentos em processos que tramitam na Comissão Disciplinar da entidade. Os casos são relacionados com os atacantes Rafael Sóbis e Pedro Rocha, mas a direção cruzeirense esclareceu que nenhum deles envolve punições como perda de pontos e muito menos rebaixamento de divisão, mas sim o impedimento de registro de atletas até que as pendências sejam pagas.

O primeiro caso é referente a Rafael Sóbis, contratado em 2016. O Cruzeiro possui três processos movidos pelo Tigres, do México. Em dois destes três já houve a condenação final e a ordem de pagamento foi enviada ao clube mineiro, com data de pagamento para o próximo dia 15 de julho. A quantia é de US$ 2.286.840,00 (R$ 11.785.001,26 na cotação atual), que contabiliza valor histórico da transação, mais juros e custos.

O Cruzeiro também recebeu ordem de pagamento no valor atualizado de 395.619,00 euros (R$ 2.311.611,92) ao Spartak Moscou, da Rússia, referente à negociação envolvendo Pedro Rocha, realizada em 2019. O pagamento tem data de vencimento no próximo dia 6 de agosto.

O time mineiro vai disputar a Série B do Campeonato Brasileiro pela primeira vez na história e começará a disputa com menos seis pontos na tabela de classificação depois de punição da Fifa pelo calote de uma dívida com o Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, pela transferência de Denilson.

O Cruzeiro também reiterou que tem monitorado de perto as ações na Fifa, mantido diálogo direto com os demais clubes envolvidos, e que não tem medido esforços para que todas as pendências sejam resolvidas da melhor forma possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.