Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Cruzeiro reclama na CBF contra suspensão de Lucas Silva

Clube pede revisão de dois lances da arbitragem na partida contra o Corinthians no último domingo

Celso Filho, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2013 | 16h31

SÃO PAULO - Líder do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro encaminhou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) nesta terça-feira uma reclamação formal contra a arbitragem da partida de domingo, contra o Corinthians, no Pacaembu, quando houve empate de 0 a 0. O protesto pede a revisão do cartão amarelo dado ao volante Lucas Silva e uma falta não marcada sobre o atacante Borges dentro da área, portanto, pênalti.

Lucas Silva foi punido após fazer falta contra o atacante corintiano Romarinho, aos 17 minutos do segundo tempo. Como foi seu terceiro cartão amarelo, o jogador terá de cumprir suspensão na próxima rodada. O Cruzeiro argumenta que a infração teria sido cometida por Nilton e não pelo volante punido, que estava próximo da jogada e confundiu o árbitro. O clube mineiro também reclama que a arbitragem do senhor Felipe Gomes da Silva (PR) não teria marcado infração no primeiro tempo. Aos 16 minutos, o atacante Borges, ao tentar pegar rebate do goleiro, levou um chute do zagueiro Gil dentro da grande área. No momento, o árbitro decidiu pela continuidade da jogada. A diretoria do Cruzeiro alega que o time foi prejudicado ao não ter um pênalti a seu favor.

De acordo com a assessoria de imprensa do clube, o pedido deve chegar à Federação Mineira de Futebol nesta quarta. Se a entidade for favorável à revisão, Lucas Silva poderá jogar contra o Internacional, no próximo domingo, dia 29, em Nova Hamburgo, no Rio Grande do Sul, com efeito suspensivo até que o caso seja julgado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
CruzeiroLucas SilvaBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.