Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Cruzeiro se revolta com 'nota 10' à arbitragem de Sandro Meira Ricci

Gerente de futebol Valdir Barbosa fica irritado com declarações do delegado do jogo contra o Corinthians

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

16 de novembro de 2010 | 18h33

Depois das acusações contra o árbitro Sandro Meira Ricci e o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sérgio Corrêa, a irritação da diretoria do Cruzeiro se voltou para o delegado da partida em que o time mineiro foi derrotado para o Corinthians por 1 a 0, no último sábado, pelo Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira, o gerente de futebol, Valdir Barbosa, reagiu com dureza às declarações de Manoel Serapião Filho, que havia dado "nota dez" para a arbitragem de Ricci.

Veja também:

linkRoger diz que juiz estava esperando qualquer lance para decidir jogo

linkTite desabafa e exibe números para defender o Corinthians

linkCorinthians ameaça processar Roger

linkMontillo ainda é dúvida após ser avaliado

BRASILEIRÃO - tabela Classificação | lista Resultados

Representantes da diretoria celeste pretendem apresentar nesta semana na CBF um DVD contendo os lances polêmicos do jogo e outras partidas do Cruzeiro no Brasileirão. O clube mineiro irá oficializar um protesto contra o trio de arbitragem que atuou no Pacaembu.

A declaração de Serapião à rádio Itatiaia enfureceu o dirigente do Cruzeiro. "É uma burrice que ele comete, como dirigente da arbitragem, dizer que o árbitro merece nota dez. E dizer que não viu o lance do Wellington Paulista. Então, que fiscal, que auxiliar de comissão ele é? Os lances do Corinthians ele viu. O do Cruzeiro não? É por isso é que vamos lá amanhã (quarta) para enfiar no nariz dele a gravação do lance do Wellington Paulista, porque é um absurdo o sujeito falar o que falou", disse Barbosa, também em entrevista à Itatiaia.

"Ele vai ouvir amanhã (quarta) e vai ser de mim. Se ele botar as manguinhas dele de fora, porque ele é arrogante e prepotente e todo mundo da arbitragem sabe quem é Manoel Serapião Filho, se ele levantar o pescocinho dele lá, eu o corto", continuou.

As declarações podem criar mais mal estar na relação do Cruzeiro com a CBF no momento em que o presidente do clube, Zezé Perrella, chefia a delegação da seleção brasileira em Doha, no Catar, para o amistoso contra a Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.