Cruzeiro se supera e empata com Santos

Em um jogo emocionante, que estava praticamente ganho, o Santos perdeu a chance de se isolar na liderança do Campeonato Brasileiro e empatou com o Cruzeiro por 4 a 4, neste domingo, no Mineirão, em Belo Horizonte. A 25 minutos do fim, o time paulista vencia por 4 a 1 e tinha um jogador a mais em campo. Com o resultado, a equipe de Vanderlei Luxemburgo soma 48 pontos, divide a primeira posição com o Juventude, mas tem uma vitória a mais - 15 a 14. O Santos começou arrasador. Deivid quase abriu o placar num chute cruzado, que passou perto do gol. Mas aos 13 minutos, em boa trama entre Ricardinho e Robinho, o atacante passou por três adversários - Edu Dracena, Maldonado e Augusto Recife - e tocou para as redes, na saída do goleiro Artur. Não demorou para os paulistas ampliarem, desta vez em jogada individual de Robinho. O atacante recebeu na intermediária, e, na velocidade, deixou Maldonado, Martinez e Edu Dracena para trás, bateu cruzado e marcou o segundo. Foi seu 36º gol em Campeonatos Brasileiros, que o tornou o maior artilheiro do Santos na história da competição - um a mais do que Paulinho McLaren, que defendeu o clube nos anos 90. Perdido em campo, o Cruzeiro só reagiu numa distração do adversário. Aos 30 minutos, Fred driblou Antônio Carlos com facilidade, e chutou para o gol. O arremate não saiu com força, mas desviou em Ávalos e tirou a chance de defesa de Tápia. Fred teve mais espaço para empatar, mas desperdiçou duas ótimas chances. Na primeira, bateu de primeira, no cruzamento de Marco Aurélio, e na segunda, cabeceou mal, de frente para o gol, após a cobrança de escanteio. Quando começava a dominar as ações, o Cruzeiro perdeu Martinez, expulso por reclamação, a um minuto do intervalo. Com um a menos, o time de Belo Horizonte foi dominado pelo adversário durante a maior parte do segundo tempo. Aos 13, Deivid foi mais rápido que a defesa e aproveitou o bom lançamento de Luís Augusto: dentro da área, dominou, tocou por baixo do goleiro e marcou o terceiro dos visitantes. O time da casa não teve tempo para reagir, pois cinco minutos depois, sofreu o quarto gol. Na pressão, Luís Augusto tentou passar por dois zagueiros e a bola sobrou para Elano que bateu rasteiro, sem chance de defesa para Artur. Parecia fácil, mas os mineiros deram uma aula de superação e, na base da raça, conseguiram chegar ao empate. O atacante Fred, melhor do Cruzeiro, diminuiu o placar aos 20 minutos, depois de driblar Léo dentro da área e tocar no canto do goleiro Tápia. Numa forte arrancada, Jussiê passou por três marcadores, chutou, e contou com o desvio em Léo para marcar o terceiro. Atordoado, o Santos não conseguiu segurar a pressão do time da casa. A três minutos do fim, Wendel pegou de primeira, dentro da área, e bateu cruzado. Tápia só fez o golpe de vista, mas a bola entrou, no canto esquerdo. O Cruzeiro comemorou o resultado como se fosse uma vitória.

Agencia Estado,

29 Agosto 2004 | 20h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.