Bruno Haddad / Cruzeiro
Bruno Haddad / Cruzeiro

Cruzeiro não consegue se livrar da má fase na Série B do Brasileiro e perde para o Avaí por 3 a 0

Equipe mineira está no 16º lugar na tabela, apenas dois pontos acima da zona de rebaixamento para a Série C

Redação, Estadão Conteúdo

17 de julho de 2021 | 19h31

O Cruzeiro segue a sua rotina sem vitórias na Série B do Campeonato Brasileiro. Neste sábado à tarde, de novo no Mineirão, perdeu para o Avaí por 3 a 0, pela 12.ª rodada. Sem vencer há seis jogos, o time mineiro tem a defesa mais vazada da competição, com 22 gols sofridos.

Com aproveitamento de apenas 30,6% parece distante de brigar pelo acesso. Soma 11 pontos em 12 jogos, em 15º lugar, e começa a se preocupar com a ameaça de rebaixamento. São duas vitórias, cinco empates e agora cinco derrotas. O novo tropeço pode impactar diretamente no comando do clube e do time nesta semana.

De outro lado, o Avaí continua em alta. Atingiu seu sexto jogo invicto e agora aparece com 18 pontos, em sexto lugar, perto do G-4 - a zona de acesso à primeira divisão. Além disso, tem um jogo a menos que seus concorrentes diretos.

Os dois técnicos armaram seus times dentro de um esquema tático idêntico: 4-2-3-1. Novidade maior no Cruzeiro é a volta de Marcelo Moreno, que fez dois gols no empate por 2 a 2 com o Guarani. O auxiliar Denis Iwamura ficou no lugar de Mozart Santos, suspenso por ter sido expulso. No Avaí, o experiente lateral-direito Edílson, que passagem por muitos clubes, inclusive, o próprio Cruzeiro.

O time mineiro ficou com a posse de bola, porém, sem poder de infiltração e finalização. O visitante, bem fechado, se mostrou mais objetivo e aproveitou o primeiro erro de marcação para abrir o placar aos 17 minutos.

Copete puxou o contra-ataque pelo lado direito e fez o passe para Marcos Serrato, na frente da grande área. Ele ajeitou para sua perna esquerda e chutou rasteiro no canto direito do goleiro Fábio, que saltou sem sucesso. Em todo primeiro tempo, o Cruzeiro chutou três vezes no gol adversário, mas sem perigo.

Para acabar com a inoperância, o Cruzeiro voltou com três mudanças dos vestiários e começou o segundo tempo adiantado. Entraram Rafael Sobis, Felipe Augusto e Rômulo.

Aos 6, a grande chegada ao ataque pelo lado direito. Rômulo fez o levantamento e Moreno, entre dois zagueiros, subiu para testar de cabeça. A bola explodiu no travessão. A jogada área quase funcionou aos 18 minutos, quando Norberto levantou e Moreno testou, mas para fora.

Aos 20, o técnico Mozart Santos deu a ordem para o tudo ou nada: tirou o zagueiro Léo santos para a entrada do atacante Wellington Nem e o meia Giovanni na vaga de Bruno José. Reforçou seu ataque e praticamente desmontou sua defesa, numa estratégia muito arriscada.

A tentativa fracassou, porque aos 24 minutos o Avaí ampliou. Getúlio puxou o contra-ataque pelo lado esquerdo, desde o meio-campo até a grande área. Daí tocou de lado para o chute colocado de Renato e superou Fábio pela segunda vez.

Sem força ofensiva, o Cruzeiro ainda ficou aberto na defesa, dando espaços para o Avaí que ampliou aos 36, de novo com Renato. Na pequena área ele se esticou para completar o cruzamento de Copete pelo lado esquerdo. Tranquilo, o Avaí administrou a vantagem até o final.

Na 13ª rodada, o Cruzeiro vai até Belém (PA) para enfrentar o Remo, a partir das 19 horas. O Avaí volta a atuar na Ressacada, mas na quinta-feira, às 21h30, diante do Operário-PR.


FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 0 x 3 AVAÍ

CRUZEIRO - Fábio; Norberto, Léo Santos (Wellington Nem), Rhodolfo e Jean (Felipe Augusto); Ariel Cabral e Lucas Ventura (Rômulo); Marcinho, Claudinho (Rafael Sobis) e Bruno José (Giovanni); Marcelo Moreno. Técnico: Denis Iwamura (auxiliar).

AVAÍ - Glédson; Edílson (João Lucas), Rafael Pereira, Betão e Diego Renan; Marcos Serrato (Valdívia) e Bruno Silva (Wesley Soares); Lourenço, Copete e Vinícius Leite (Renato); Getúlio (Júnior Dutra). Técnico: Claudinei Santos.

GOLS - Marcos Serrato, aos 17 minutos do primeiro tempo. Renato, aos 24 e aos 36 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Giovanni (Cruzeiro); Edilson, Bruno Silva e Renato (Avaí)

ÁRBITRO - Alisson Sidnei Furtado (TO).

RENDA E PÚBLICO - Jogo sem torcida.

LOCAL - Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.