Cruzeiro tentará manter 90% do elenco

A diretoria do Cruzeiro está ciente de que o clube mineiro, perto de conquistar o Campeonato Brasileiro, se tornou um atrativo para os atletas que atuam no País. Mas os dirigentes já avisam que, para a próxima temporada, pretendem manter na Toca da Raposa entre 80 e 90% do atual grupo. "Não adianta um jogador se colocar disposição do Cruzeiro. Com certeza, atletas sairão do clube, mas a gente vai tentar manter a maioria dos atuais jogadores", afirmou o diretor de futebol, Eduardo Maluf. O dirigente cruzeirense observa que, pelo fato de a competição nacional ainda não ter terminado, o assédio de empresários e procuradores ainda é pequeno, mas tende a crescer muito após a definição do título. Além da já bastante comentada estrutura e saúde financeira - que permite o pagamento de salários e prêmios em dia -, o clube mineiro está garantido na Copa Libertadores de 2004, vitrine sempre cobiçada pelos atletas de ponta.Freqüentemente, jogadores que neste ano ou no final de 2002 desembarcaram em Belo Horizonte, saindo do eixo Rio-São Paulo, ressaltam a maior tranqüilidade que encontraram para trabalhar na capital mineira, sem a mesma pressão verificada nos outros centros. "Pagamento sem atrasos, bicho em dia, estrutura para desenvolver um trabalho, que jogador que não quer isso?", questiona Maluf. Os contratos de sete atletas do Cruzeiro - Alex, Aristizábal, Mota, Zinho, Thiago, Márcio Nobre e Felipe Melo - vencem no final deste ano.A prioridade da diretoria é renovar com Alex, craque do time e destaque do Brasileirão. O vice-presidente de futebol, Zezé Perrella, já avisou, contudo, que, por necessidade, o clube tentará negociar pelo menos dois jogadores, cujos direitos econômicos lhe pertençam. Por isso, salienta que o Cruzeiro terá de contratar "bons jogadores" para as competições do ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.