Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Cruzeiro treina sob protestos e Mano diz que relacionará Edilson e David

Time celeste é pressionado antes da final do Campeonato Mineiro, contra o Atlético

Estadão Conteúdo

06 de abril de 2018 | 19h30

O treino de sexta-feira do Cruzeiro contou com o protesto de cerca de 20 torcedores. Eles subiram no muro do Centro de Treinamento para pedir mais garra aos jogadores e gritaram palavras de ordem do tipo "ou joga por amor ou por terror".

+ Larghi diz que não pensa em vantagem do Atlético-MG e promete atacar o Cruzeiro

A manifestação acontece dois dias antes de o Cruzeiro entrar em campo para disputar o segundo e decisivo jogo da final do Campeonato Mineiro contra o Atlético, no estádio do Mineirão. Depois de perder a partida de ida por 3 a 1, a equipe do técnico Mano Menezes precisa de uma vitória por 2 a 0 para ficar com a taça.

Mano Menezes mandou um recado aos torcedores. "Podem confiar no time do Cruzeiro. Vamos mostrar novamente no domingo que ele pode confiar na gente. Penso que podemos fazer melhor várias coisas, inclusive a questão tática, que é a minha parte. Estou trabalhando para deixar tudo bem ajustado", afirmou.

O treinador do Cruzeiro não confirmou a equipe que entrará em campo e revelou apenas que o lateral-direito Edilson e o atacante David serão relacionados. Edilson está recuperado de um problema no joelho direito e David poderá finalmente estrear pela equipe. Ele foi contratado no início do ano, mas se recuperava de lesão na coxa.

A expectativa é que Edilson seja titular, já que seu principal concorrente da posição, Romero, está com dores na coxa esquerda. David deve começar no banco. A outra dúvida no time está no ataque. Raniel desfalcou o Cruzeiro no empate sem gols contra o Cruzeiro, quarta-feira, pela Libertadores, e não teve a presença confirmada na lista de relacionados. Se ficar de fora, Sassá pode surgir em campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.