Divulgação/Vasco
Divulgação/Vasco

Cruzeiro vence a terceira e aumenta a crise no Vasco da Gama

Vasco amarga a quarta derrota seguida e deixa campo sob vaias

ANTONIO PITA, Estadão Conteúdo

13 de junho de 2015 | 23h37

Sob fortes vaias, o Vasco amargou mais uma derrota no Campeonato Brasileiro e agravou sua situação na zona de rebaixamento. Pela sétima rodada, o time carioca perdeu por 3 a 1 para o Cruzeiro, neste sábado, em franca recuperação na tabela após a chegada de Vanderlei Luxemburgo no comando do time. Foi a terceira vitória em três jogos - o que coloca o time celeste na oitava posição da tabela, com dez pontos. Já o Vasco é o vice-lanterna, com 3 pontos.

As duas equipes entraram em campo em clima morno, fazendo um jogo com passes truncados e muitas faltas, o que fez com que a bola permanecesse parada em 53% da primeira etapa. Sem se arriscar, o Cruzeiro ficou à espreita das tentativas do Vasco, marcando a saída de bola e aguardando o melhor momento para se lançar ao gol, em contra-ataques, puxado por Willians e Marquinhos, quando o time mineiro conseguiu encadear passes leves e rápidos.

O resultado chegou aos 39 minutos, em um vacilo da defesa carioca que, desarmada, permitiu o passe de Pará a Leandro Damião na entrada esquerda da área. O centroavante só precisou driblar um zagueiro e chutar com segurança para o gol - foi o seu primeiro no campeonato. O segundo gol foi de Charles com um chute fraco após uma troca de passes de fora da área, em uma falha do goleiro vascaíno.

Para fechar o placar, novamente Damião teve tranquilidade para finalizar aos 29 minutos do segundo tempo. O atacante pegou a sobra da bola, depois de um bate e rebate na entrada da área, e conduziu pelo lado esquerdo tocando na saída do goleiro Charles para sacramentar a derrota vascaína.

Em crise, o Vasco saiu de campo vaiado. Indignada, a torcida também gritava "time sem vergonha" e pedia "respeito" à comissão técnica e jogadores. Parte do público deixou o estádio antes do fim da partida. A decepção é com a falta de resultados do time - em sete jogos no Brasileirão, foram quatro derrotas e três empates.

Mesmo com esquema tático que aposta em três volantes, o time carioca não chutou mais que seis vezes ao gol, em lances de pouco perigo. As melhores chances partiram da dupla Jhon Cley, responsável pelos cruzamentos, e Gilberto, pelas finalizações. Na hora da definição, entretanto, os chutes esbarravam na defesa bem montada e na limitação técnica das finalizações.

O gol de honra do Vasco veio numa cobrança de falta, já aos 43 minutos do segundo tempo. A cobrança do Rodrigo, de perna direita, foi uma bomba quase do meio de campo contra o gol cruzeirense. A bola pegou efeito após passar pela barreira, sem chance para o goleiro Fábio.

FICHA TÉCNICA:

VASCO 1 X 3 CRUZEIRO

VASCO - Charles, Madson, Luan, Rodrigo, Julio Cesar; Yago (Diguinho), Guiñazu, Julio dos Santos (Jackson Caucaia), Thalles (Jhon Cley) e Emanuel Biancucchi; Gilberto. Técnico - Doriva.

CRUZEIRO - Fábio; Fabiano (Mayke), Manoel, Bruno Rodrigo e Pará; Charles, Willians, Bruno Edgar (Allano) e Marquinhos; Joel (Willian) e Leandro Damião. Técnico - Vanderley Luxemburgo.

GOLS - Leandro Damião, aos 39 minutos do primeiro tempo e aos 29 minutos do segundo tempo; Charles, aos 13 minutos do segundo tempo. Rodrigo, aos 23 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leandro Vuaden.

CARTÃO AMARELO - Pará, Leandro Damião, Joel (Cruzeiro), Luan e Rodrigo (Vasco)

RENDA - R$ 121.310,00

PÚBLICO - 5.072 pagantes (5.505 presentes)

LOCAL - Estádio São Januário, no Rio (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoVascoCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.