Cruzeiro vence no Paraguai e avança na Copa Libertadores

Torcida paraguaia fica indignada, atira pedras e partida é encerrada antes do final por falta de segurança

Agência Estado,

07 de fevereiro de 2008 | 00h38

O Cruzeiro conseguiu passar da fase preliminar e garantiu sua vaga no Grupo 1 da Libertadores, ao lado de San Lorenzo (Argentina), Caracas (Venezuela) e Real Potosí (Bolívia). A classificação cruzeirense veio na noite desta quarta-feira, com a vitória por 3 a 2 sobre o Cerro Porteño, no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção, no Paraguai - jogo foi encerrado antes do final por violência da torcida paraguaia. Veja também:  Calendário e jogos da competição Mesmo jogando fora de casa, o Cruzeiro conseguiu vencer nesta quarta-feira. Mas podia até ter perdido, porque ganhou do mesmo Cerro Porteño, na semana passada, no Mineirão, em Belo Horizonte, por 3 a 1. Assim, o futebol brasileiro terá cinco representantes na Libertadores, cuja fase de grupos começa na próxima semana - os outros são Flamengo, Fluminense, Santos e São Paulo. Cerro Porteño2Diego Barreto; Alfredo Rojas (Fretes), Fidel Pérez, Nelson Cabrera e Jorge Núñez; Lorgio Álvarez, Jorge Brítez    , Cristaldo      (Víctor Ferreira) e Cáceres; César Ramírez     e EstigarribiaTécnico: Javier TorrenteCruzeiro3Fábio; Marquinhos Paraná, Thiago Martinelli, Thiago Heleno e Jadilson; Charles (Luiz Alberto), Fabrício, Ramires e Wagner; Marcelo Moreno e Leandro (Fernandinho)Técnico: Adilson BatistaGols: Thiago Heleno, aos 5, e Álvarez, aos 42 minutos do primeiro tempo; Marcelo Moreno (pênalti), aos 8, Ramires, aos 11, e Álvarez, aos 18 minutos do segundo tempoÁrbitro: Carlos Chandía (CHI)Estádio: Defensores del Chaco, em Assunção (PAR)A pressão do Cerro Porteño, que precisava vencer nesta quarta-feira para conseguir sua vaga, não surtiu efeito sobre o Cruzeiro. Como tinha boa vantagem, após a vitória no primeiro jogo do confronto, a equipe brasileira soube administrar a partida. E, para dar mais tranqüilidade, o Cruzeiro abriu o placar logo aos cinco minutos de jogo, quando Thiago Heleno fez 1 a 0. O Cerro reagiu ainda no primeiro tempo, com o empate de Álvarez aos 42. Mas o Cruzeiro voltou a ficar em vantagem no começo da segunda etapa. Em cobrança de pênalti aos 8 minutos, o atacante boliviano Marcelo Moreno fez 2 a 1. O terceiro gol cruzeirense saiu logo depois, aos 11, com o volante Ramires.  O Cerro ainda diminuiu aos 18 minutos, novamente com Álvarez, mas não foi suficiente para conter a ira de sua torcida. Revoltados com a iminente eliminação na Libertadores, os torcedores paraguaios passaram a atirar objetos no gramado do Defensores del Chaco. E, alegando falta de segurança, o árbitro chileno Carlos Chandía determinou o final do jogo aos 24 minutos, confirmando a vitória e a classificação cruzeirense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.