Cruzeiro vence o Paysandu em Belém

Um gol de Joãozinho, aos 18 minutos do segundo tempo, e um pênalti perdido por Albertinho, a três minutos do final do jogo, levaram o Cruzeiro a vencer o Paysandu, por 2 x 1, nesta quarta-feira, no Estádio Mangueirão, em Belém. O atacante cruzeirense repetiu o que aconteceu há uma semana, quando substituiu Lucas e foi decisivo para a vitória da sua equipe.Com o resultado, o time mineiro saiu em vantagem e joga por um empate no segundo jogo da final, no próximo domingo, em Fortaleza, para conquistar o inédito título da Copa dos Campeões e garantir a vaga na Libertadores do ano que vem. Se conseguir, a Raposa chegará à sua nona competição sul-americana, enquanto a equipe paraense terá de quebrar a invencibilidade do Cruzeiro se quiser disputar pela primeira vez a Libertadores. O primeiro jogo da decisão foi emocionante, repleto de lances de gols. Paysandu e Cruzeiro tentaram a vitória o tempo todo, com muita disposição, o que garantiu muito trabalho aos goleiros Jefferson e Marcão, especialmente o do time da casa. O primeiro tempo já começou movimentado. A Raposa, surpreendendo os entusiasmados torcedores paraenses, começou o jogo atacando e logo a 1 minuto teve boa chance com Lucas.O início do time da casa foi nervoso, errando muitos passes. Em apenas dois minutos, foram quatro falhas nesse fundamento. Quando o Paysandu começava a equilibrar o jogo e seus torcedores ensaiavam alguns gritos de apoio, o clube celeste chegou ao seu gol. Fábio Júnior, de cabeça, após cruzamento de Jorge Wagner marcou, aos 14 minutos, calando o Mangueirão. Foi o oitavo gol cruzeirense na Copa dos Campeões e o quarto de Fábio Júnior, igualando-se assim a Guilherme, do Atlético-MG e Araújo, do Goiás, na artilharia da competição, todos com quatro gols. O gol levou a equipe celeste a recuar em demasia, aceitando a pressão adversária. Exatamente quando o técnico Marco Aurélio tentava alertar seu time para adiantar um pouco a marcação, o Paysandu chegou ao empate, aos 31 minutos.O habilidoso e baixinho meia Vélber, que reclamara da não marcação de dois pênaltis sobre ele, em faltas cometidas por Luisão e Recife, cobrou uma falta na trave. No rebote, o volante Sandro acertou belo chute de perna esquerda e igualou o marcador. A torcida, que já estava animada com a pressão do "Papão da Curuzu", foi ao delírio com o empate.O Cruzeiro não se assustou, no entanto, e voltou a atacar. Por isso, teve pelo menos duas ótimas chances de desempate. Na primeira, aos 32 minutos, Maicon chutou de bico e o goleiro Marcão fez grande defesa. Na outra oportunidade, aos 40 minutos, foi Ricardinho que desperdiçou, após jogada individual de Fábio Júnior. Ele chutou forte, mas Marcão, que é mineiro e torcedor do Atlético, defendeu novamente.As equipes voltaram para o segundo tempo com os mesmos times e a mesma vontade. "Fiz algumas mexidas táticas e acho que vai ficar bom", afirmou o técnico do Paysandu, Givanildo. Marco Aurélio, por sua vez, demorou apenas 11 minutos para alterar o Cruzeiro. Ele tirou o meia Jorge Wagner e o atacante Lucas, substituindo-os por Jussiê e Joãozinho, respectivamente.A exemplo do jogo contra o Flamengo, há uma semana, Joãozinho marcou um belo gol. Da mesma forma que na semifinal, foi em jogada com o lateral-esquerdo Leandro, que rolou para um chute forte do atacante celeste. O gol fez justiça ao Cruzeiro, que estava melhor e quase chegou ao terceiro, aos 22 minutos, quando Marcão salvou com o pé esquerdo, em chute forte de Jussiê. E o goleiro ainda salvou seu time, duas vezes, aos 31 minutos, em jogadas de Fábio Júnior. Mas o Paysandu desperdiçou a oportunidade de empatar o jogo, aos 42 minutos, quando Albertinho perdeu pênalti, chutando para fora. Ele mesmo sofreu a penalidade, mal marcada pelo juiz Edílson Pereira de Carvalho, que viu falta inexistente de Maicon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.