Fernando Príamo / Lightpress / Cruzeiro
Fernando Príamo / Lightpress / Cruzeiro

Cruzeiro vence Tupynambás de virada e assume a ponta do Mineiro

Equipe saiu perdendo por 2 a 0 nos primeiros 12 minutos, mas virou para 4 a 2 no segundo tempo

Redação, Estadão Conteúdo

02 de fevereiro de 2020 | 21h52

A "zebra" pareceu que ia dar as caras em Juiz de Fora, onde o Tupynambás abriu 2 a 0 para cima do favorito Cruzeiro, mas levou a virada no segundo tempo, perdendo por 4 a 2, neste domingo, no estádio Helenão. Após a grande virada, o time assumiu a liderança do Campeonato Mineiro, com nove pontos, um na frente do rival Atlético e com um jogo a menos.

Até então, o Tupynambás vinha de três derrotas consecutivas e não tinha marcado nenhum gol. O time até chegou aos seus gols em apenas 13 minutos, mas segue na lanterna, sem pontuar.

O primeiro gol saiu aos quatro minutos, quando o lateral Grafite soltou um chute forte de longa distância. A bola ganhou efeito e morreu no ângulo esquerdo da meta do experiente goleiro Fábio. Ele saltou, tocou na bola, mas não evitou o gol.

Na sequência, quase Grafite passou de herói a vilão. Após um cruzamento do lado direito, ele tentou cortar, a bola tocou em sua canela, ganhou força e explodiu no travessão. Ele até pôs as mãos na cabeça, não acreditando no lance.

A situação se complicou para o Cruzeiro ao levar o segundo gol ainda aos 13 minutos. O goleiro Gabriel saiu jogando com um chute bem alto. O volante Machado não cortou a bola de cabeça e ela sobrou para Fabinho Alves, que invadiu a área e bateu cruzado, sem chances para Fábio que ainda esticou a perna esquerda e viu a bola entrar na sua meta.

O Cruzeiro estava irreconhecível. Errava passes e não conseguia chegar com perigo ao ataque. Até trocava passes na frente da área, no entanto, sem nenhum poder de finalização. Os chutes dados foram todos para fora.

Como era de se esperar, o visitante voltou diferente para o segundo tempo. Passou marcar adiantado, dificultando a saída de bola do time da casa. Aos 11 minutos, Felipe Machado chutou de longe e Gabriel espalmou a escanteio. A pressão era cada vez maior. Aos 14, Roberson desviou de cabeça cruzamento de João Lucas e acertou a trave esquerda do goleiro.

Em uma bela cobrança de falta de Edilson, aos 21 minutos, o Cruzeiro diminuiu o placar. A falta aconteceu quase na linha da grande área, ele encobriu a barreira e acertou o canto direito de Gabriel. Na pressão, quase saiu o empate aos 25, quando Roberson ajeitou para Maurício que bateu cruzado, mas Gabriel desviou.

Aos 30 minutos, Roberson tenta levantar a bola na área e a bola bate no braço direito de Grafite: pênalti. Na cobrança, Edilson bateu forte no canto direito de Gabriel, que ainda acertou o lado, mas não evitou o empate aos 31 minutos.

A pressão era total e a virada parecia inevitável. Saiu aos 36 minutos, quando Roberson deu um chapéu num marcador e passou para Maurício, que bateu firme no canto esquerdo de Gabriel. Aos 43 minutos, após boa jogada de Maurício, Jonatha Robert marcou o quarto gol tocando de cabeça quase na pequena área.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.