Washington Alve/Vipcomm
Washington Alve/Vipcomm

Cruzeiro vira em cima do Bahia e afasta de vez o risco de rebaixamento

Com a vitória por 3 a 1 em casa, time mineiro não pode mais ser superado pelo Sport

BERNARDO MIRANDA, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2012 | 21h32

BELO HORIZONTE - O Cruzeiro voltou a vencer após três derrotas seguidas e superou o Bahia, de virada, por 3 a 1, em jogo disputado no Estádio Independência, em Belo Horizonte, pela 35 ª rodada, neste domingo. Com a vitória, o Cruzeiro chegou a 46 pontos, na décima colocação e se livrou de qualquer possibilidade de ser rebaixado. Já o Bahia, na 16 ª posição, permanece ameaçado de cair para a série B com 40 pontos, três a mais que o Sport, primeiro time dentro da zona de rebaixamento.

No próximo domingo, o Cruzeiro joga contra o campeão Fluminense, no Rio de Janeiro, e o Bahia recebe a Ponte Preta, no estádio do Pituaçu, em Salvador.

O jogo começou equilibrado e uma das principais chances do Cruzeiro no primeiro tempo foi logo aos 5 minutos com uma cobrança de falta de Fabinho que só não se transformou em gol porque Marcelo Lomba fez grande defesa. O lance acordou o time do Bahia que passou a ter mais atitude e a dominar a partida criando as melhores chances de gol.

Aos 9 minutos, o meia Gabriel, revelação do time baiano, aproveitou a falha de Thiago Carvalho, tomou a bola do zagueiro cruzeirense e cruzou perigosamente. A defesa do Cruzeiro rebateu e na sobra, Hélder chutou para boa defesa de Fábio. Aos 18, Jones Carioca entrou pela esquerda e chutou cruzado para mais uma defesa de Fábio.

De tanto tentar, o Bahia chegou ao gol, aos 27 minutos, após cobrança de escanteio. Fabinho escorou de cabeça e Fael chutou para abrir o placar.

Logo após o gol, o Cruzeiro reagiu com um chute de Martinuccio que da entrada da área chutou no travessão. Essa foi a única chance clara do Cruzeiro no primeiro tempo que mesmo estando atrás no placar não conseguia criar oportunidades de gol.

O primeiro tempo terminou com protestos da torcida do Cruzeiro contra o técnico Celso Roth e o presidente do clube, Gilvan de Pinho Tavares. A diretoria celeste já confirmou que o técnico não fica no ano que vem, mas não quer demitir antes do fim do campeonato para evitar pagar a multa rescisória do contrato.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou bem melhor, pressionando o Bahia e com o argentino Martinuccio chamando a responsabilidade para comandar o ataque celeste. E foi dos pés dele que saiu o gol de empate. Aos 8 minutos, Fabinho cobrou escanteio, Anselmo Ramon desviou de cabeça e o argentino completou para as redes.

Martinuccio continuou jogando bem e, aos 17, o atacante argentino desceu pela esquerda e cruzou na medida para Fabinho, que dominou e chutou para fora perdendo um gol feito. Aos 22, a boa atuação do atacante argentino foi premiada com um belo gol. Após bom lançamento de Anselmo Ramon, Martinuccio recebeu livre na área e pegou de primeira mandando a bola no fundo das redes de Marcelo Lomba.

Após a virada, o Cruzeiro manteve o domínio do jogo até que o volante Sandro Silva conseguiu, em um minuto, fazer duas faltas violentas, receber dois cartões amarelos e ser expulso deixando a equipe celeste com um jogador a menos.

Mesmo com um a mais, o Bahia não conseguiu pressionar o Cruzeiro e, aos 41 da etapa final, Mancini, que havia entrado no lugar de Jones Carioca foi expulso após dar um tapa no rosto do meia Souza.

Com a igualdade no número de jogadores, o Cruzeiro conseguiu mais um gol. Após jogada de Martinuccio pela direita, Souza chutou, a defesa rebateu e a bola sobrou para Willian Magrão, que havia entrado no lugar de Tinga, tocar por cima do goleiro ampliando para o time mineiro. Foi o primeiro gol do jogador com a camisa cruzeirense.

No fim da partida Celso Roth não concedeu entrevista coletiva, mostrando que o clima continua ruim no Cruzeiro mesmo com a vitória.

CRUZEIRO 3 X 1 BAHIA

CRUZEIRO - Fábio; Diego Renan, Thiago Carvalho, Leandro Guerreiro e Everton; Marcelo Oliveira, Sandro Silva e Tinga(Willian Magrão); Martinuccio, Fabinho(Souza) e Anselmo Ramon (Wellington Paulista). Técnico - Celso Roth.

BAHIA - Marcelo Lomba; Neto, Titi, Lucas Fonseca e Jussandro; Fael, Fabinho (Elias), Helder e Gabriel; Souza e Jones Carioca (Mancini). Técnico - Jorginho.

GOLS - Fael, aos 27 do primeiro tempo. Martinuccio, aos 8 e aos 22, Willian Magrão, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcelo de Lima Henrique (RJ).

CARTÕES AMARELOS - Lucas Fonseca, Fael, Titi, Jussandro, Neto (Bahia) e Fabinho (Cruzeiro).

CARTÕES VERMELHOS - Sandro Silva e Mancini.

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 7.762 pagantes.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Tudo o que sabemos sobre:
CruzeiroEC BahiaBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.