CSA perde para o São Bento, mas garante nos pênaltis a vaga na final da Série C

Time alagoano se classifica para decisão contra o Fortaleza depois de perder por 1 a 0 no tempo normal, mas fazer 4 a 2 nas penalidades

Estadão Conteúdo

07 Outubro 2017 | 22h06

Em uma disputa emocionante de pênaltis, o CSA-AL garantiu a sua vaga na final do Campeonato Brasileiro da Série C - a terceira divisão nacional - neste sábado, no estádio Rei Pelé, em Maceió, no jogo de volta das semifinais. Depois de perder para o São Bento-SP no tempo normal por 1 a 0, o time alagoano garantiu a classificação nas penalidades máximas por 4 a 2. Isso porque na ida, em Sorocaba (SP), tinha também vencido pela contagem mínima.

+ Cruzeiro bate a Ponte de virada e sobe para 4º no Brasileirão

A final inédita vai ser contra o Fortaleza-CE, que mais cedo eliminou o Sampaio Corrêa-MA, em São Luis. O primeiro jogo será disputado na Arena Castelão, em Fortaleza, e o segundo no estádio Rei Pelé, em Maceió. Isso porque o CSA tem a melhor campanha. Os quatro semifinalistas já tinham garantindo o acesso para a Série B de 2018 e os dois finalistas vão atrás de um inédito título nacional.

O jogo foi equilibrado no primeiro tempo. Com a vantagem de ter vencido por 1 a 0, no interior de São Paulo, o CSA não forçou muito na frente. O São Bento também foi cauteloso, indo para decidir na segunda etapa nos contra-ataques.

No intervalo, o time paulista recebeu instruções dentro de campo porque não havia água e luz nos vestiários. O São Bento acuou o CSA e criou boas chances até marcar o gol já nos acréscimos em uma penalidade máxima cobrada por Everaldo, aos 47 minutos.

Para o CSA converteram Daniel Costa, Edinho, Boquita e Maxuel, que entrou no último minuto, bateu o último pênalti e encerrou a disputa. Dawan desperdiçou para os alagoanos. Para o São Bento perderam Branquinho e Everaldo, justamente os dois melhores em campo. Antes deles, Maicon Souza e Renan Oliveira tinham convertido. Não houve a necessidade da quinta cobrança paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.