Cuca ameaçou pedir demissão no intervalo do jogo

No intervalo do jogo deste domingo, o técnico Cuca ameaçou entregar o cargo se o Santos não reagisse no segundo tempo contra o Botafogo. A ameaça parece ter surtido efeito. Com o empate por 2 a 2, depois de estar perdendo por 2 a 0, a atitude do treinador mudou. "Quando as coisas não vão bem, não passam coisas boas pela cabeça. Esses dois próximos jogos - Figueirense, quarta-feira em Florianópolis, e Sport, domingo, na Vila Belmiro - vão definir muitas coisas. Não só para a comissão técnica, mas também o futuro de alguns jogadores", disse.O técnico contou que, no intervalo, teve uma conversa de homem para homem com os jogadores, sem se exaltar, mas dizendo coisas duras. "Mas não acredito que foi isso que determinou a reação do time. E também não temos o que comemorar porque o empate foi derrota para o Santos", disse o treinador. "Falei até em mudança de treinador. Se eles vão querer mudança de técnico a toda hora." E exigiu que os jogadores tivessem "vergonha na cara". O treinador voltou a criticar as falhas da defesa. "O Botafogo teve uma falta a favor e fez o primeiro gol. Chegou outra vez e saiu outro gol", lamentou.Para Cuca, o desequilíbrio que o time vem apresentado se deve ao fato de sofrer sempre o primeiro gol, até mesmo quando está melhor em campo, e depois tem que correr pensando em fazer dois, em vez de um, para vencer. "É preciso mudar a postura do primeiro ao último minuto. Se isso não acontecer, terá que haver mudança em todos os sentidos. Mas não basta apenas a troca do técnico."Cuca continua sem vencer no comando do time santista. Agora são três derrotas - contra Vitória, Goiás e Atlético-PR - e quatro empates - Fluminense, Portuguesa, Grêmio e Botafogo. Embora tenha saído vaiado de campo no final do primeiro tempo, não se queixa da torcida. E justifica as alterações que fez no time no jogo deste domingo."Escalei Domingos no lugar de Marcelo porque sabia que o Botafogo iria usar dois atacantes - e eu precisava de um zagueiro mais rápido. Roberto Brum substituiu Rodrigo Souto, mas marcou mais na frente, por isso jogamos com dois alas. E a entrada do Lima foi uma opção técnica, troca de centroavante por centroavante. Mudei o mínimo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.