Pedro Azevedo/Santos FC
Pedro Azevedo/Santos FC

Cuca conversa com Gabriel, mas mantém mistério sobre ataque do Santos

Técnico não indica entrada de jogador no time titular que vai enfrentar o Atlético-MG, em Belo Horizonte

Estadão Conteúdo

10 Agosto 2018 | 16h57

O técnico Cuca concedeu entrevista coletiva no CT do Santos nesta sexta-feira, a dois dias do duelo contra o Atlético-MG, no Independência, às 11h, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. O treinador falou sobre o momento difícil da equipe no Campeonato Brasileiro, a dificuldade por montar formar um time no meio da temporada e ainda comentou a situação de alguns jogadores, como por exemplo do atacante Gabriel e do zagueiro Lucas Veríssimo.

Cuca e Gabriel conversaram logo após o término do treino por cerca de dez minutos. O técnico não revelou o teor da conversa, mas explicou os motivos. "Foi uma conversa normal. Ele queria conversar, fez um bom treino... Conversamos situações naturais. Até porque tenho oito dias de casa e o melhor treino que temos feito é a conversa", afirmou o treinador.

Sobre Lucas Veríssimo o tom foi de cobrança para a diretoria. O zagueiro estava na mira de clubes europeus e ficou próximo de acerto com o Zenit, da Rússia. No entanto, após a negociação do zagueiro David Braz com o Sivasspor, da Turquia, o treinador afirmou que a permanência do outro atleta é fundamental.

"Não podemos perder o Lucas Veríssimo. Se deixamos o David Braz ir em outra situação... O Lucas não pode sair agora. No final do ano pode ser outra situação. Mas ele hoje é um dos quatro zagueiros que tenho. Não podemos perder em hipótese nenhuma", disse o atleta.

Cuca comandou o Santos em dois jogos nessa sua segunda passagem. Em ambas as partidas o time teve uma atuação fraca. No último sábado, empatou sem gols com o Botafogo, no Engenhão, e na quarta-feira ficou no 1 a 1 com o Ceará, em Fortaleza.

"Dentro da competição existem formas de estar atuando. Têm equipes em estágios acima do meu, não digo nem do Santos, porque tem entrosamento, conjunto, uma situação calculada. É diferente da minha situação, que estou começando, e de jogadores que estão estreando ainda fora da forma ideal", afirmou o treinador.

Um reforço que estreou na última partida fora da forma ideal foi o meia costa-riquenho Bryan Ruyz. O jogador entrou pela primeira vez na equipe no segundo tempo do jogo contra o Ceará e teve atuação apagada. Cuca não deu pistas sobre a formação para o jogo, mas a tendência é que ele siga no banco de reservas.

"No decorrer dos jogos vamos dando oportunidades. E vai chegar um momento que o jogador vai fazer uma grande partida, o time vai alcançar um grande resultado e tudo vai mudar. Vamos estudar o que a gente faz para domingo", despistou.

A tendência é que Cuca mande a campo uma equipe bem semelhante a que empatou contra o Ceará. A novidade certa fica por conta do retorno do lateral-esquerdo Dodô, que cumpriu suspensão. E a grande dúvida é sobre quem atuará no comando do ataque. Gabriel e Yuri Alberto disputam a posição.

Em 15º lugar na tabela com 18 pontos somados, o time alvinegro deve entrar em campo no domingo com: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Dodô; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Rodrygo, Gabriel (Yuri Alberto) e Bruno Henrique.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.