Cuca desabafa e diz que a sua fama de azarado acabou

Antes da decisão da Libertadores, treinador havia conquistado somente títulos estaduais

AE, Agência Estado

25 de julho de 2013 | 01h04

BELO HORIZONTE - O técnico Cuca não se conteve logo após a conquista do título da

Em quase 15 anos de carreira, o treinador acumulava apenas títulos estaduais e a pecha de ser azarado. E, antes de conquistar um campeonato nacional, ele consegue pular uma etapa e já dá o salto para o reconhecimento internacional entrando no seleto grupo de treinadores que foram campeões da Libertadores.

Supersticioso, cheio de manias e devoto fervoroso de Nossa Senhora, o treinador é um dos heróis da conquista porque foi o responsável por montar a equipe. Cuca assumiu o Atlético em agosto de 2011 lutando para não ser rebaixado no Campeonato Brasileiro, perdeu os seis primeiros jogos e, mesmo assim, salvou o time da degola. Quase dois anos depois, levou o clube ao título mais importante de sua história. Nesse período, ele fez o time jogar um futebol bonito e ofensivo.

O responsável pela sua contratação foi o presidente Alexandre Kalil, que também segurou as lágrimas ao final de decisão. "Eu estou muito feliz. Não consigo parar de pensar no meu pai (Elias Kalil, ex-presidente do Atlético). Esse título é dele. Nós trabalhamos para não sermos roubados. E ele me ensinou muito sobre o valor do Atlético. Quero agradecer a diretoria, parceiros comercias, que acreditaram nesse time".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.