Cuca descarta favoritismo do Botafogo na Copa do Brasil

Para o treinador, Corinthians quer retirar a responsabilidade para o duelo desta terça no Engenhão

Bruno Lousada,

19 de maio de 2008 | 18h46

Na visão dos jogadores do Corinthians, o Botafogo é favorito para vencer o jogo desta terça-feira, às 20h30, no Engenhão, pela semifinal da Copa do Brasil. Mas ninguém no clube carioca parece ter assumido tal condição. Pelo contrário. O técnico Cuca, inclusive, se mostrou até irritado com o assunto, repercutido à exaustão pelos jornalistas depois do treino desta segunda. Veja também: Botafogo é sim favorito contra o Corinthians "A estratégia foi tirar a responsabilidade de si e jogá-la no outro. Internamente, eles não vêem assim. É apenas da boca para fora", disse Cuca, rechaçando a idéia lançada pelo Corinthians de que o Botafogo se encontra num estágio acima por integrar a divisão de elite do Campeonato Brasileiro - os corintianos estão atualmente na Série B. "Nada a ver. O Corinthians é forte e jogaria a Série A com os pés nas costas", declarou o treinador do Botafogo. Para ele, é questão de tempo o retorno da equipe corintiana à primeira divisão nacional, por conta do elenco de "qualidade" que formou.  "Não adianta passar uma situação que não é real. A grandeza do Corinthians é a mesma do Botafogo e não adianta dizer que há favorito. O jogo será de igual para igual", comentou Cuca. No jogo desta terça-feira, que abre as semifinais da Copa do Brasil, Cuca vai ter de "quebrar a cabeça" para montar o time do Botafogo, que tem três dúvidas. O goleiro Castillo, o lateral-direito Alessandro e o lateral-esquerdo Triguinho ainda se recuperam de contusão.  O caso mais grave é o de Castillo, com estiramento na coxa direita. Caso ele seja vetado, Renan, de 19 anos, será o goleiro titular. "Essa situação me incomoda bastante. Na véspera de decisões, gosto de ter o time definido", reclamou Cuca.  Em 2007, Renan, então titular dos juniores, assistia aos jogos dos profissionais do Botafogo pela televisão. Neste ano, porém, sua vida profissional decolou. Numa emergência, substituiu Castillo na grande final do Campeonato Carioca, contra o Flamengo, e se saiu bem. Agora, pode ter nova chance nesta terça-feira. "Não esperava por isso, mas estou pronto e confiante", afirmou o garoto, demonstrando timidez diante de tantas câmeras e microfones.  A exemplo do Botafogo, o Corinthians não tem grandes nomes em seu grupo. A opinião é do meia Lúcio Flávio, peça-chave no esquema tático do técnico Cuca. Por isso, o confronto tende, na opinião dele, a ser equilibrado. "A dedicação vai fazer a diferença", avisou o jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa do BrasilCorinthiansBotafogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.