Pedro Azevedo/Santos
Pedro Azevedo/Santos

Cuca discorda da diretoria do Santos e elogia árbitro do jogo de quarta

Técnico defende Rodolpho Toski Marques após clube enviar ofício à CBF pela atuação dele contra o Cruzeiro

Estadão Conteúdo

17 Agosto 2018 | 15h36

O técnico Cuca, do Santos, concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira e discordou da decisão da diretoria do clube, que enviou ofício para a CBF no dia anterior pedindo que o árbitro Rodolpho Toski Marques não apite mais o jogo da equipe.

O treinador elogiou o juiz que apitou o duelo contra o Cruzeiro, na última quarta-feira, pelas quartas de final da Copa do Brasil. "Não posso acreditar que teve má fé. Foi uma infelicidade que ele teve. Deve apitar jogo nosso na sequência. Ele é um bom árbitro. Não podemos colocar um rótulo nele. A diretoria está representando essa dor de todos os torcedores. Mas ele é bom árbitro, vai seguir e vai passar por cima desse erro", afirmou.

A indignação dos santistas após a partida e da diretoria no dia seguinte foi porque o árbitro encerrou a partida quando Gabriel arrancava em um contra-ataque que poderia garantir a classificação do time alvinegro. O jogo terminou com vitória do Santos por 2 a 1. Mas, como o Cruzeiro havia vencido o primeiro duelo por 1 a 0, a decisão foi para os pênaltis. O goleiro Fábio, então, pegou as três cobranças santistas e garantiu a equipe mineira nas semifinais da competição.

"Fosse um Campeonato Brasileiro era tudo o que a gente queria. Teve o lance fatídico, mas isso já é passado. Boa sorte para o Cruzeiro na competição. Para nós fica o sabor da primeira vitória, tira um peso, nos dá um ânimo novo", disse Cuca.

A vitória no tempo regulamentar encerrou uma sequência de dois meses sem triunfos do Santos. Para o treinador, o resultado deve ao menos dar moral para uma reação no Brasileirão. Atualmente, o Santos está na zona de rebaixamento, em 17º lugar, com 18 pontos. No sábado, às 16h, a equipe recebe o Sport na Vila Belmiro.

"Conversei com o elenco, já que não houve tempo para treinar. Guardamos energia e vamos ver como utilizar o grupo. Se os jogadores que estiveram em Minas (contra o Cruzeiro) estiverem em condições ideais, vão para o jogo. Se não, vão entrar outros que possam jogar em condição ideal. É jogo de força por causa do clima e confronto direto, com adversário que está na nossa frente e podemos encostar em caso de vitória", disse Cuca.

Para a partida, o Santos não contará com o zagueiro Luiz Felipe por conta de lesão na coxa esquerda e Yuri, com dores no pé direito. Em compensação, terá os retornos de Eduardo Sasha, recuperado de lesão na coxa esquerda, e dos estrangeiros Bryan Ruiz, Carlos Sánchez e Derlis González, que não foram inscritos na Copa do Brasil.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.