Cuca diz que desfalques atrapalharam o Cruzeiro

O técnico Cuca avaliou como justo o empate do Cruzeiro por 2 a 2 com o Grêmio, no último domingo, pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro. De acordo com o treinador, as equipes foram parecidas em campo e os desfalques de Gil e Wellington Paulista, suspensos, além de Roger e Gilberto, com lesões musculares, atrapalharam o seu time.

AE, Agência Estado

26 de julho de 2010 | 11h25

"Para um time grande, de estatura competitiva como o Grêmio, o campo irregular torna as coisas mais difíceis para a gente. Acho que o placar foi justo, até pelo que as duas equipes fizeram em campo. O Grêmio por uma parte e nós pela busca do resultado até o final. Não sou de chorar, mas nos fizeram muita falta alguns jogadores", afirmou.

Por conta de tantos desfalques, Cuca foi obrigado e improvisar. Colocou o lateral Jonathan no meio e escalou Rômulo lateral-direita. A tática não deu certo e o comandante da equipe mineira assumiu o erro. "Nós tentamos uma estratégia no primeiro tempo com o Jonathan no meio e não deu. Antes do intervalo passamos ele para o lado do campo e o Rômulo por dentro, e também não surtiu efeito. Quando tomamos o gol e fomos para o vestiário, tínhamos que voltar e empatar em cinco, dez minutos, senão não empataríamos mais", analisou.

"Pusemos um atacante na direita, o Sebá, um na esquerda, o Thiago, e fizemos um 4-3-3. O Grêmio não conseguiu encaixar a marcação e nós fizemos o gol. Estávamos melhor, até tomar o gol. Aí tivemos que nos superar e buscar o empate na base da raça, com a cabeçada do Henrique. Pelo que foi o jogo, o empate não foi um mau resultado", completou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.