Cuca exalta disputa interna no elenco do Atlético-MG

Depois de uma temporada conturbada em 2011, o Atlético-MG começou bem o ano, com três vitórias e 100% de aproveitamento no Campeonato Mineiro. Para o técnico Cuca, uma das razões deste sucesso é a disputa interna na equipe. Nomes conhecidos como Triguinho, Dudu Cearense e Guilherme têm ficado no banco de reservas e lutam para conquistar a titularidade.

AE, Agência Estado

17 de fevereiro de 2012 | 20h33

"Toda equipe tem 28, 30 atletas. Jogam onze, ficam no banco sete e outros onze buscam ficar no banco, como quem está no banco busca ser titular, daí você melhora sua competitividade e a qualidade geral da equipe", declarou. "Assim é o profissionalismo. Seria muito fácil ter só onze jogadores, mas tem lesão, suspensão, momento ruim. Em todas essas situações, é utilizado o grupo. Por isso, quem está fora deve estar bem pronto, bem trabalhado para, na hora de entrar, mostrar ao treinador que deve ser titular", completou.

Entre estes reservas também está Fillipe Soutto. O volante era apontado como um dos principais jogadores do Atlético-MG no ano passado, mas nesta temporada, com a chegada de Leandro Donizete, perdeu a vaga na equipe. O jogador, no entanto, segue com prestígio com Cuca, que o vê como titular.

"Ainda que hoje ele não seja um dos onze, ele é meu titular", afirmou. "É um segundo volante canhoto, raro, com boa qualidade de saída para o jogo. Ele terá um futuro maravilhoso porque não é só um bom jogador, é um excelente ser humano, daqueles guris que são bons para genro, cara limpa, cabeça em pé, não se abate por qualquer coisa", completou o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAtlético-MGCuca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.