Enrique Marcarian/Reuters
Enrique Marcarian/Reuters

Cuca exalta goleada na Argentina, mas contém euforia no Atlético-MG

Técnico elogia a postura do Atlético-MG após 5 a 2 sobre o Arsenal, porém não quer saber de empolgação

AE, Agência Estado

27 de fevereiro de 2013 | 08h57

SARANDÍ - O Atlético-MG não tomou conhecimento do Arsenal, em Sarandí, na Argentina, ao golear por 5 a 2, na noite da última terça-feira, onde assumiu a liderança isolada do Grupo 3 da Copa Libertadores e fez história, pois pela primeira vez uma equipe brasileira marcou cinco gols sobre um time argentino, fora de casa, na competição continental. Após o confronto, o técnico Cuca exaltou a goleada, mas fez questão de conter a euforia.

"É muito bom vir aqui e vencer da forma que a gente venceu", exaltou o treinador, lembrando, porém, que é preciso não se iludir com o resultado expressivo, pois há muitos desafios pela frente na competição continental. "Foi uma grande vitória e a gente fica muito feliz por ter retribuído o apoio da torcida. Sei que foi a primeira vez que um time brasileiro faz cinco gols em um time argentino, aqui na Argentina, pela Libertadores, mas temos que degustar com calma e sabedoria porque a gente não pode se empolgar", reforçou, destacando também os cerca de 3 mil atleticanos que marcaram presença no Estádio Julio Grondona.

Ao comentar a atuação atleticana, o comandante enfatizou que foi importante ter reagido rapidamente após o time ter levado um gol logo no início do jogo. "Fica perigoso porque, se encaixa uma segunda bola e faz o segundo gol, arrisca você a tomar a goleada. Trabalhamos a bola, empatamos com o Bernard em um passe do Ronaldinho e tomamos conta jogo, com jogadas rápidas. Aí, tomamos um gol que não estava nos planos e o jogo se tornou perigoso de novo", analisou, antes de finalizar: "No segundo tempo, equilibramos melhor a equipe, aconteceram as jogadas de contra-ataque e fizemos mais dois gols. Ainda tivemos o pênalti (perdido por Ronaldinho Gaúcho) e o lance do Luan que o zagueiro tirou de cabeça em cima da linha".

Já o meia Bernard, com três gols, se igualou a Luis Fabiano na artilharia da Libertadores e ainda se tornou o segundo jogador estrangeiro a balançar as redes três vezes em uma só partida contra um time argentino, na Argentina, na história da competição. O último a realizar o feito havia sido o uruguaio Fernando Morena, pelo Peñarol, na edição de 1974 do torneio continental.

"É um momento marcante, esse jogo vai ficar marcado para mim. Fazer três gols em um jogo importante como esse, ajudar a equipe a vencer. É um dia muito feliz para mim e para o time todo porque conquistamos a vitória fora de casa", comemorou Bernard.

Ronaldinho Gaúcho, por sua vez, admitiu surpresa com a goleada atleticana fora de casa, embora ainda tenha chutado no travessão um pênalti no fim do jogo que poderia ter tornado o placar ainda mais elástico. "A gente não esperava um jogo de tantos gols, mas estamos felizes porque a maioria deles foi da nossa parte. O time jogou bem e a gente espera continuar assim", projetou o craque, deixando em segundo plano o seu erro na penalidade. "Fico muito feliz quando as coisas saem bem na minha função. Participei da maioria dos gols, criando as jogadas, e isso me motiva a continuar bem", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.