Leo La Valle/EFE
Leo La Valle/EFE

Cuca festeja 'feito histórico' do Cruzeiro na Argentina

Time mineiro venceu o Estudiantes e se garantiu como o melhor da 1.ª fase da Libertadores

AE, Agência Estado

14 de abril de 2011 | 09h57

Depois de o Cruzeiro vencer o Estudiantes por 3 a 0, em La Plata, na noite desta quarta-feira, e se garantir como melhor time da primeira fase da Copa Libertadores, o técnico Cuca não escondeu a empolgação com o atual momento vivido na competição continental. O treinador lembrou que a equipe superou dificuldades no início do duelo, com boas defesas do goleiro Fábio, e depois voltou a exibir o seu poderio ofensivo - fez 20 gols e tomou apenas um em seis jogos no torneio.

"O campo está muito irregular, por causa da areia que foi colocada. Isso prejudicou o espetáculo, são duas equipes técnicas. Fizemos 3 a 0 e isso é um feito histórico. Os rapazes que entraram do Estudiantes deram a vida. Tivemos um início complicado. O Fábio foi fundamental. Se ele não tirasse uma ou duas bolas, como ele tirou, ficaria complicado. No segundo tempo sim, fizemos um ótimo jogo e mostramos um Cruzeiro forte. A torcida do Cruzeiro deve estar muito feliz", ressaltou o treinador, para depois destacar que não foi fácil aguentar a pressão dos torcedores.

"Confesso que não me lembro de ter passado por uma pressão da torcida como se tem aqui, o som da torcida, a pressão que ela exerce. É um tipo de jogo perigoso. Se você sai perdendo, é difícil. Tivemos sorte e soubemos ter tranquilidade para vencer", enfatizou.

Cuca ainda lembrou que a vitória desta quarta-feira foi dedicada ao meia Montillo, que não viajou para La Plata para poder acompanhar a cirurgia cardíaca a que seu filho foi submetido no dia do confronto. "A homenagem é para ele. Oferecemos essa vitória a ele e ao filhinho, Santino", disse o comandante.

"Esta vitória também foi para o Montillo, que está com o filho dele em Belo Horizonte, ele merece", reforçou o atacante Wallyson, que marcou o seu sexto gol em seis jogos na Libertadores e é o artilheiro do time na competição.

O meia Roger também ressaltou que o momento difícil vivido pelo jogador argentino serviu de inspiração para o time cruzeirense. "Mais do que a vitória, é a alma que a gente colocou em campo, a dedicação e a superação. Tudo isso a gente passa para o Montillo. Que o filho dele possa estar o mais rápido possível em casa, para depois nos visitar lá na Toca (da Raposa)", ressaltou.

Com a vitória sobre o Estudiantes, o Cruzeiro fechou o Grupo 7 com 16 pontos, enquanto o Estudiantes, outro classificado da chave, ficou com dez. O Deportes Tolima, que na noite da última quarta cumpriu tabela com uma vitória por 2 a 0 sobre o Guaraní, no Paraguai, se despediu como terceiro colocado, com oito pontos, enquanto o rival paraguaio não somou nenhum em seis jogos.

Veja também:

linkJOGO - Leia como foi Estudiantes 0 x 3 Cruzeiro

blog Bate Pronto - Cruzeiro absoluto

blogAntero Greco - Cruzeiro lava a alma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.