Daniel Teixeira|Estadão
Cuca já disse que gostaria de trabalhar no Palmeiras, onde jogou em 1992 Daniel Teixeira|Estadão

Cuca já tem tempo de contrato definido e está perto do Palmeiras

Técnico deve assinar contrato válido por duas temporadas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2016 | 07h03

Cuca deve ser confirmado nesta sexta-feira como novo técnico do Palmeiras. O treinador tem uma reunião marcada com a diretoria para acertar os últimos detalhes, assinar um contrato válido por duas temporadas e, assim, realizar o sonho de dirigir a equipe alviverde.

Além do treinador devem chegar ao clube seu irmão e auxiliar Cuquinha e um preparador físico. A conversa com o treinador começou há algumas semanas. A negociação está sendo feita apenas pelo diretor de futebol, Alexandre Mattos. O presidente Paulo Nobre acompanha tudo à distância. Até por isso, resistiu o máximo que pôde para demitir Marcelo Oliveira. 

Nobre comentou ontem sobre a queda do treinador durante um evento no Rio. “Tem duas coisas inegáveis. Uma delas é que o Marcelo é um baita técnico. Disputou seis finais de torneios nacionais nos últimos cinco anos, fora os estaduais. Que ele é um baita técnico, é indiscutível. Como também é indiscutível que o time não estava rendendo. Foram 13 partidas e não víamos evolução. Chegamos à conclusão que era melhor a troca para que um novo técnico pudesse extrair mais”, disse o dirigente, entre elogios e críticas.

O ex-treinador palmeirense ganhou sobrevida do clube após a vitória por 2 a 0 sobre o Rosario Central. Já Cuca, chegou a ser procurado pelo Fluminense e Atlético-PR, mas recusou as duas propostas por saber que existiam grandes chances de assumir o Palmeiras.

Outros nomes chegaram a ser comentados no Palmeiras, como de Abel Braga e Levir Culpi (que foi para o Fluminense), mas não empolgaram Paulo Nobre e Alexandre Mattos. A direção quer colocar no papel o acordo verbal que tem com Cuca para ele assinar hoje e iniciar o trabalho, já que o time tem novo compromisso pela Libertadores na quinta-feira que vem, novamente contra o Nacional, desta vez no Uruguai.

Cuca já disse diversas vezes que sonhava trabalhar no Palmeiras, onde jogou em 1992. A última declaração de amor ao clube ocorreu no início do ano passado, quando ainda comandava o Shandong Luneng, da China, em um amistoso no Allianz Parque. “Lógico que em um futuro eu pretendo trabalhar aqui, mas depois de eu cumprir meus contratos na China, daqui alguns anos”, disse, em janeiro do ano passado. Independentemente do acerto com Cuca, Alberto Valentim será o treinador contra o São Paulo, domingo, no Pacaembu.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasCuca (técnico)Futebolista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Cinco problemas para novo técnico resolver no Palmeiras

Equipe alviverde precisa se ajustar rapidamente

O Estado de S.Paulo

11 de março de 2016 | 07h00

O Palmeiras deve confirmar até segunda-feira a contratação de Cuca como novo treinador da equipe. Ele chega ao clube com vários problemas e sem ter muito tempo para resolvê-los, já que o time joga semana que vem pela Libertadores, quinta-feira, contra o Nacional, no Uruguai, e precisa se recuperar rapidamente da derrota na última quarta-feira. O Estado destacou cinco problemas mais emergenciais para o novo comandante palmeirense resolver.

Falta de organização tática

A maior reclamação sobre o trabalho de Marcelo Oliveira era a falta de uma organização tática. O time não conseguia criar e a única jogada era o cruzamento para a área e os longos lançamentos em busca dos atacantes. O novo treinador terá muitas opções no elenco, por isso poderá até montar esquemas diferentes, mas é preciso que o jogador saiba o que precisa ser feito em campo.

Tirar jogadores da zona de conforto

Alguns jogadores caíram muito de rendimento nos últimos tempos e, em alguns casos, parece ter acontecido uma acomodação. Como, por exemplo, na lateral-direita, onde Lucas não tem jogado bem e mesmo assim era mantido na equipe. Robinho e Gabriel Jesus também têm sido muito inconstantes.

Situação na Libertadores

Principal competição da equipe na temporada, o Palmeiras precisa ter atenção redobrada na Libertadores para evitar uma queda prematura. O time alviverde é o segundo colocado do Grupo 2, com quatro pontos. O líder é o Nacional com 5. O Rosario é o terceiro com quatro e o River Plate-URU soma apenas dois. O Nacional fará três jogos no Uruguai (dois em casa e um como visitante diante do River Plate) e pode ter grande vantagem por isso. Assim, o Alviverde deve disputar uma vaga com o Rosario.

Deixar todos motivados

Alguns jogadores estavam um pouco insatisfeitos com Marcelo Oliveira por estarem sendo pouco aproveitados. Com um elenco recheado de boas opções e de atletas com potencial para ser titulares, a missão do novo técnico é conseguir ter equilíbrio para utilizar o máximo de atletas e não deixar que os que não estão jogando fiquem desmotivados.

Aprender a usar o fator Allianz Parque

A maioria dos jogos do Palmeiras no Allianz Parque tem sido disputado diante de muitos torcedores, mas isso não tem surtido tanto efeito dentro de campo. Em 23 jogos na casa, o time sofreu sete derrotas e neste ano, a equipe só venceu na quarta partida realizada em casa. Antes, havia sido derrotado por 2 a 1 para o Linense e Ferroviária e ter empatado por 0 a 0 com o Santos.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.