Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Cuca mostra incômodo com declarações de presidente do Santos sobre Ruiz e Dodô

Dirigente disse que meia costa-riquenho está atuando em posição errada e que lateral está '99% garantido' para 2019

Estadao Conteudo

19 Outubro 2018 | 19h38

Cuca já exibiu certo desentendimento com o presidente do Santos, José Carlos Peres, em outros momentos. Mas, nesta sexta-feira, o treinador foi além. Ele mostrou sinceridade e deixou claro que o desencontro de algumas opiniões entre eles tem o deixado bastante incomodado.

Cuca não escondeu a chateação em relação à declaração de Peres sobre Bryan Ruiz. Questionado sobre o costa-riquenho na terça-feira, o presidente exaltou seu talento e disse acreditar que o jogador ainda não brilhou com a camisa santista por estar atuando fora de posição.

"Lamento isso, porque sempre que ponho um jogador, ponho na posição dele. O Bryan é um cara que a gente gosta, baita profissional. Lamento essas palavras do presidente, mas bola para frente", afirmou o treinador. "Na próxima temporada, ele (Bryan Ruiz) vai ter muito mais oportunidade do que nesta."

Mas não foi só em relação a Bryan Ruiz que Cuca mostrou não concordar com Peres. Depois de o presidente ter dito que a permanência de Dodô - emprestado pela Sampdoria - no Santos para o ano que vem estava "99% garantida", o treinador garantiu não ter sido informado sobre o assunto.

"Quem falou que está 99% certo? Então, é melhor falar com ele (Peres). Sinceramente, não sei nada, nunca foi falado comigo nada sobre ele e nem de ninguém que está com o contrato vencendo. Infelizmente, não sei", afirmou.

Cuca ainda desmentiu a informação passada por Peres sobre uma reunião para discutir o futuro do Santos, da qual teriam participado o próprio presidente, o treinador, o diretor o executivo de futebol, Renato, e o gerente administrativo, Sergio Dimas. Questionado sobre o assunto, o técnico fez cara de que não sabia do que estava sendo falado e brincou: "Faltei nessa aula".

Apesar do descontentamento, Cuca também se mostrou focado em levar o Santos para a Libertadores. Para isso, é fundamental um bom resultado no duelo diante do vice-líder Internacional, segunda-feira que vem, no Beira-Rio.

"É uma decisão para as pretensões do Inter e para nós, que estamos em franca recuperação e buscamos vaga na Libertadores, que seria nosso título. Tem tudo para ser um grande jogo. Quem ganha com isso é a imprensa, os torcedores, que devem ver um grande jogo", considerou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.